quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

O ano vai mudar...


... e eu também!

Vou ali e já volto! Até já!


Um Bom Ano, para todos os que aqui passarem!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Nada mais tenho...













... que lhe possa dar!

Dar-lhe-ei um pequeno Terço em madeira e um Devocionário da Divina Misericórdia! Só conheço este caminho...
 

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Sonhos?!


(Sonhos de Abóbora)

Sempre me interessei pelas lides domésticas, e principalmente na cozinha. Era uma miúda... gostava de ajudar a bater as massas, a estende-las, a rechear, etc...

Na casa onde cresci, no Natal fazia-se todo o tipo de fritos de Natal (Filhós; Sonhos; Bacalhau frito; Polvo frito; Ovos verdes, etc...), os meus olhos (não só os olhos) seguiam todos os passos, e o meu indicador... melhor dizendo, o meu "fura-bolos" também seguia todos os passos. Aprendi assim, a saborear o prazer de fazer estas pequenas delicias...

Este ano, decidi-me a fazer os Sonhos de Abóbora. Houve vozes que se ergueram contra, porque se gasta mais, porque dá trabalho, porque sei lá mais o quê. Fiz na mesma! Sou de ideias fixas, já se viu!

Fiz com a ideia de partilhar. No inicio nunca sei com quem, mas há sempre uma luz que me ilumina, com quem devo partilhar. Coloquei mais abóbora, mais farinha, etc... fiz mais.

Uma grande travessa repleta de sonhos, num dourado salpicado de açucar com canela... era de encher o olho. Retirei uma boa parte desses sonhos, com carinho e alegria preparei o que haveria de partilhar, com os que menos têm!

Não descobri ainda o que mais gosto, se fazer ou partilhar...

Um dia descubro!




segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Nem sempre sei...


... como N. Senhor, me confia certas "coisas"!

Tenho andado para aqui, com o meu interior às voltas... vai que dou 1 passo para a frente, vai que dou 2 passos para trás... entre as humilhações, o mau julgamento e desprezo de terceiros, vou dando luta a isto, que normalmente chamamos de dia-à-dia!

Hoje N. Senhor, trouxe-me uma mãe de coração atribulado e triste...  almoçámos juntas e sózinhas (acho que pouca gente trabalha no dia a seguir ao Natal), conversámos de muito... partilhámos alegrias e alguns episódios menos alegres...

O coração sábio de uma mãe, consegue antever muito. Não porque tenha algum poder paranormal, mas porque é experiente, atento, cauteloso e acima de tudo ama incondicionalmente. O coração desta mãe, antevê um matrimónio destruido... entre lágrimas e soluços, contava-me o quanto sofreu no inicio do seu casamento, o quanto aguentou e que na verdade, valeu a pena...

Tratando-me pelo diminutivo, adiantava que era mesmo isso que aconselhava a quem lhe "aperta" assim o coração... "os meus netinhos, que é o melhor que eu tenho...".

Eu, que tenho andado só Deus sabe como... incentivei-a a ofertar a N. Senhor, as suas lágrimas, por eles. Ouvi-a com caridade; ocorreu-me ensiná-la a ofertar a sua dor, a sua falta de vontade em fazer (seja lá o que for, não tem vontade de nada.), as suas lágrimas... enfim, tudo! Já nada mais me ocorria e disse-lhe: "rezarei por eles". Chorou mais... abri os meus braços e abracei-a... acredito na "terapia" do abraço. Não tem grande sabedoria, esta terapia... consiste apenas em:

- Abrir os braços e acolher com caridade, quem sofre!
- Apertar com força, inspirando confiança a quem sofre!
- Rezar! 

Prometi-lhe que rezaria, por esta sua intenção... apertei-a nos meus braços e dei-lhe um beijinho no rosto... proferindo novamente o meu diminutivo disse: "...gosto tanto de si!" - A quem fez melhor, aquele abraço? A ela, ou a mim?


Eu disse...



... que não enviaria mensagens de Natal, por e-mail, sms, etc...

Na verdade; ao fim de alguns anos "descobri" que o meu telefone e correio electrónico, também recebem (chamadas, mensagens...). Já à noite, na noite de Natal... recuei e enviei algumas mensagens... jamais aprenderei! Sou mesmo "burra" !!!!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Menino Jesus!


Menino Jesus, que vieste ao mundo de forma humilde e pobre... deitado numa manjedoura, num estábulo... sem luxos, nem festas exageradas... nasce Menino Jesus, também no meu frio e pobre coração. Vem Menino Jesus, aquece esta "pobre manjedoura"... 





quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Aconteceu...


... assim;

A manhã intensa, mas tranquila... com um presente antecipado. Alegria!

À hora do almoço... como já era de prever... um sentimento de contrariedade, agonia até...
Coloquei o meu melhor sorriso,  permaneci com a minha postura de sempre... o resto, decididamente, não é meu. Incomoda-me e fere-me... martiriza-me até... mas não é meu! Não fiz... não sou... aquilo que mentes perversas dizem!

Durante todo o tempo que ali permaneci, fui ignorada pelos "primeiros"... eu havia-me sentado lá ao fundo... fiz companhia aos "ultimos", conversei com eles, ouvi-os... mas percebi o desprezo dos "primeiros".

Não é novidade nenhuma para mim, o desprezo, acho que o tenho vivido desde muito nova. Mas ainda assim, não me habituo... não quero a amizade de pessoas que me julgam mal, mas apenas o respeito. O que é muito, mas muito diferente!

Podia ter sido pior... mas não foi... já passou! Agora preparo-me para receber quem é mesmo importante para mim... JESUS!

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Nada mais...



... vejo, que possa fazer.


Amanhã será um dia intenso... pela manhã receberei um presente adiantado. Ao almoço... seja o que Deus quiser.

Recuso-me a entrar no desespero... a deixar-me vencer, seja de que maneira for. Que o meu rosto oculte esta minha luta...

A cada celebração Eucaristica, o padre após a benção final diz: "Glorificai a Deus com as vossas vidas." - Pois, que assim seja!

Sou rosto de Cristo?



Combinámos um almoço para confraternizar. Durante todo o ano, almoçamos quase todos os dias no mesmo sitio, um dia por outro lá falta uma... mas vamo-nos vendo com frequência. A nossa condição de vida, assim o permite. Gente humilde e de trabalho, honesta e de boa vontade. Gosto destes bocadinhos!

As conversas do dia-a-dia revelam-nos a "pessoa" de cada um. Aos que chegam zangados, desiludidos e tantas vezes com problemas graves... os restantes dão alento, aconselham...

Não sou de me expor com facilidade, mas a cada opinião que dou... certamente que me revelo! Falo muitas vezes, deste meu JESUS que me ama, falo a vários, que só muito raramente ouvem falar D'Ele com verdade e verdadeiro amor. No fundo, testemunho-O e testemunho a Sua Vitória na minha vida...

Hoje e em jeito de brincadeira respondi: "desta vez perdoo-o, para a próxima..." - risota. Uma voz pára aquela risota  dizendo: "a quem e o que é que tu não perdoas? Com esse coração de manteiga..." - sorri-lhe de forma cúmplice e fez-se alguns segundos de silêncio.

Nunca partilhei ali, a agonia que estou a viver, a sentir... nem o que me espera no dia de amanhã... onde só eu sei, o que verdadeiramente sinto. Não devo dizer que não vou... não, porque não possa dizê-lo... mas antes, porque não devo. 

Rezo e espero em Cristo! Ainda acredito que N. Senhor me livrará "disto". Contudo; se por vontade de Deus tudo se cumprir, como está agora estabelecido... quero que N. Senhor me dê a força e coragem, para que possa dizer como a pequenina Jacinta - a pastorinha de Fátima - "Que bom, posso oferecer este sacrificio por JESUS."

Nas Tuas mãos, Senhor, entrego o meu espirito, o meu corpo, a minha vida, o meu entendimento! Seja feita a Tua vontade, Senhor!

O Bom Pastor...



... é Jesus!

Acredito nesta verdade de fé, acredito no poder de Jesus... mas no mais intimo do meu coração, oiço as palavras do Padre: "Siga como Jesus, como ovelha levada ao matadouro... de coração manso..."

Meditando nesta frase, medito na Dolorosa Paixão de JESUS... e hoje, na oração Pós-Comunhão ofereci... ofereci tudo a JESUS!

As lágrimas assumaram-se á luz do dia... aliás, estranho seria se assim não fosse. Sinto-me a caminhar para um cadafalso... esclareço, que não tenho a vida em jogo... mas ferem-me de "morte" na alma!

sábado, 17 de dezembro de 2011

O Martirio!



Finalmente encontrei o Sr. Padre.

Fiz a minha confissão mensal e como penitência foi-me pedido: "renove a sua consagração a N. Senhora." - Como que se adivinhasse o meu desejo de fazer a Total Consagração a N. Senhora...

No fim... expus-lhe a minha "agonia"... pedi-lhe aconselhamento...


Lembrou-me o Sr. Padre; de como Jesus foi acusado injustamente, das tantas perguntas que lhe faziam para O apanharem em falso, ao que Ele respondia com perguntas... de como Ele se manteve em silêncio diante de Pilatos. Aconselhou-me a imitá-LO... a oferecer a minha agonia, pelas minhas intenções, por amor a JESUS!


Olhou para mim e para o Cristo Crucificado ali mesmo ao meu lado, e falou-me no martirio... "não sei qual martirio custa mais, se aquele que mata de uma só vez, ou se aquele que nos mata aos poucos... lentamente..." - "Não é fácil viver isso... e por muito que se sinta a morrer lentamente, ofereça... ofereça... mais vale perecer ás mãos dos homens. Mantenha um coração de "ovelha", porque Jesus só é pastor de ovelhas... jamais de lobos... não se esqueça da prudência!"

A Santa Missa ia começar e deixei algumas questões para outra altura...não havia tempo!

No fim da Homilia, o Padre falou sobre o Tratado da Verdadeira Devoção a N. Senhora, segundo o método de S. Luís de Monfort e o meu coração alegrou-se finalmente... pois é isto mesmo que eu quero fazer...

Será que encontrei finalmente o meu director espiritual?

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Quero dizer "NÃO"!

Um não redondo, sentido e desejado! Depois de ter sido alvo de maus julgamentos à minha pessoa, à minha conduta... não quero estar onde esta "gente" está, onde se reune... muito menos ao redor de uma mesa durante uma refeição! É local sagrado a mesa de refeição, a própria refeição, tem para mim esse simbolismo... prefiro comer só, a  sentir-me incomodada!


Não me questionaram... senti-me antes intimada a estar presente, com data e hora préviamente marcada. Não quero! É esta a minha vontade, é este o meu desejo... não respondi, por respeito...  precisamente o que não tiveram por mim.

Oh, Deus... vale-me nesta hora! 1 Semana é o que me falta... abandono-me agora à providência Divina! É angústia o que sinto...

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Providêcia Divina! (Parte III)



Tenho meditado, nesta minha grande dificuldade em encontrar um confessor certo e director espiritual!

Olho a assembleia da Igreja e vejo aquele mundo de gente... será que todos eles, têm um confessor certo e director espiritual? Creio que não... muito provavelmente, nem toda a assembleia se confessará uma vez por mês, nem tão pouco pedirá o conselho do padre para a tomada de decisões dificeis, na medida do Santo Evangelho. Sim, que no viver em Cristo, deve haver coerência!

Em quase toda a minha vida, tomei decisões pela minha cabeça... p'ró bem e p'ró mal... assumi sempre todos os meus actos. Hoje, sabendo e sentindo que Deus me ama, quero "fazer bem" as coisas... em nada quero desagradar o "Pai"!

Olho-me por dentro, e vejo que em nada sou mais do que a restante assembleia... porque quero eu então um confessor certo e um director espiritual?

1 - Por aconselhamento num determinado retiro.
2 - Por meditação na vida dos Santos: Pe. Pio e Cura D'Ars.

Não é frescura, nem capricho meu...

Ofereço tudo isto que tenho vindo a passar, pela Santificação dos Sacerdotes, para que sejam aquilo que Deus Pai, espera deles.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Providência Divina! (Parte II)



Onde procurar o padre?
Na Igreja, claro!


Hoje fiquei de tentar, encontrar um novo director espiritual e confessor certo! Antes de sair de casa, rezei pelo assunto... cheguei á igreja e o senhor padre não estava. Esperei bem pertinho de Jesus, rezei... esperei e fiz companhia a JESUS! O meu limite de espera, era uma hora... ultrapassado esse limite, resignei-me á minha condição... vim-me embora!

A quem, um dia recusou orientar-me e ouvir-me em confissão (sabe-se lá por qual capricho)... gostava que podesse ver esta minha luta!  


Sei que não devo desistir... senti-o de forma muito forte, no dia de ontem! Mas... valha-me Deus, N. Senhor Jesus Cristo... faltam-me as forças... estou farta de levar com a porta na cara!


Olha Senhor... que me falta fazer?

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Providência Divina! (Parte I )

O nome deste blog - "Filha de Maria" - nasceu de algo muito forte, que fui sentindo no meu coração. Na verdade; todos somos filhos de Maria, logo esta palavra que gritava no meu peito, haveria de ser algo mais... e é certamente! É isso mesmo que eu busco!

No meio da "noite escura", ou "deserto" deste meu caminhar... a única "voz" que eu ouvia era: "Filha de Maria."

Rezei, esperei... reflecti e nasceu este singelo blog, do qual nada espero, a não ser partilhar o que vou vivenciando nesta minha peregrinação...

Há alguns anos atrás, participei numa vigilia de oração onde estive no serviço do coro! A intenção, era por quem haveria de ser ordenado sacerdote! Um dos canticos, preencheu-me o coração: N. Senhora do Sim! Saí da vigilia... e só queria cantar este cantico... não sei explicar, mas só de pensar na letra, o meu coração parecia transbordar.  





Tenho guardado muito no meu coração... silencío, rezo e caminho.

Hoje, solenidade da Imaculada Conceição, tinha tudo programado... a Missa, o dia... enfim...
Aconteceram imprevistos e eu improvisei também...

Há muito que desejo fazer a Total Consagração a N. Senhora, queria tê-la feito no dia de hoje, este ano e de forma oficial... faltou-me tudo! Faltou-me a tranquilidade, o director espiritual, o confessor certo... só não me faltou o desejo de o fazer!

Improvisando em dia de imprevistos... vi-me na Paróquia, que um dia também foi a minha... onde tanto me fizeram sofrer, e por isso não gosto de avançar para os bancos da frente. Mas realmente foi dia de imprevistos... e vi-me puxada pela mão de uma criança precisamente para a frente, não havia como contornar isto e deixei-me "guiar"...

Chegámos cedo e comecei a oração do Terço... fiquei-me  pela 1ª dezena. Acho que nada mudou por ali... em dia de Solenidade, entram em procissão... tomei o propósito fazer a minha consagração a N. Senhora, ali... assim... de "improviso", naquela missa e sem a oração própria (lá há-de ter o seu valor, pensei), sabia que a oração deveria ser feita após a Sagrada Comunhão e quando me dirigia para receber N. Senhor, meditava nisso mesmo... no preciso momento, em que recebo N. Senhor... o coro inrrompe a cantar "N. Senhora do Sim...", comovi-me e senti-me confirmada... não tenho palavras para descrever o que senti...

Mais do que nunca, sei que devo fazer esta Consagração oficialmente e amanhã farei nova tentativa para encontrar um director espiritual e um confessor certo!

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Não me apetece... (Parte II)


o  Natal frio que vejo!

Cheguei cedo, mesmo muito... contrariada e desanimada. Diz o ditado popular, que quem diz a verdade, não merece castigo... mas nestes tempos de crise, chega a ser pecado ir contrariada para o trabalho. Mas é isto que eu sinto!

A ganância do dinheiro, de quem já muito tem... o olhar invejoso sobre quem veste uma "camisa lavada", a impiedade sobre os que nada têm, ou têm pouco... dói-me... magoa-me! A soberba!

Há muito que fui rotulada daquilo que não sou, nem nunca fui... e no meu perfeito juízo, nunca o serei. A fase da revolta e incredulidade já passaram, vivo agora a fase do isolamento... nunca estou verdadeiramente só, porque N. Senhor está junto de mim... mas isolei-me e assim pretendo continuar!

Jamais pensei chegar a "esta" idade e sentir-me assim! A minha família, é o meu oásis e JESUS, o meu refugio. É assim que tenho vivido os últimos 8 meses... nada mais tenho e não escondo "cartas na manga".

Hoje, ganhei tempo extra e fui buscar a "caixa do Natal"... desfeita pela humidade e alguns artigos danificados... ironia das ironias... quase que poderia descrever que daquela caixa tirava o que realmente vejo neste Natal frio, sem cor, nem vida... frio por dentro na sua verdadeira essência, sem cor e sem vida... porque na sua maioria, as pessoas não celebram o nascimento do Deus Menino.

Deitei fora o que estava impróprio... também gostaria de deitar fora o que realmente anda por aí a mascarar o Natal!

Pendurei a bota... (não sei para que serve)
Pendurei o sino luminoso... que não se pode ligar, para poupar! (Oh Deus!)
Pendurei o idoso de barbas brancas... coitado sempre pendurado na mesma posição (há-de estar cansado). Deixei-o ficar... é idoso e o Natal é para todos. Vinde, vinde todos adorar o Deus Menino!

No fim daquela velha caixa... desfeita... algo brilhante... uma pequena "gruta" de barro, pintada de amarelo e dourado, lá dentro... o Deus Menino deitado... dois anjos a adorá-lo e no topo uma pequena vela que nunca foi acesa... não é a Sagrada Família, mas é o Deus Menino! Comprei isto há tanto tempo... comprei e ofereci, deixando-o ficar para o próximo Natal. 



Não tem N. Senhora, nem S. José... mas tem o Menino Deus e os anjos...

Perguntei se O queriam colocar na linha da frente, a resposta surpreendeu-me... põe-no aqui! Foi precisamente para o lugar, onde não quiseram o meu pequeno Presépio... onde não havia lugar...

Não tenho grandes ilusões... talvez o queiram apenas pelo brilho... mas na verdade, todos os que ali passarem, irão olha-LO!

Misturei-me com os demais consumidores... e as compras que fiz, foram com grande esforço e sem vontade alguma!

Tenho dúvidas! Dúvidas sobre o que penso, o que vejo e sinto! Não sei quem está mais longe... se sou eu... ou os outros!

Talvez esteja apenas a viver uma crise... existencial! Sei lá... o que se passa comigo! Este ano não escrevo mensagens de boas festas, nem em cartões, sms ou email's... em massa! Estou cansada de o fazer a quem nunca responde ou sequer tem o bom tom de agradecer somente, ou que só o faz, porque apenas fica bem!

Este ano vou dizer ao Deus Menino: "Estou aqui! Esta que vês de mãos vazias, sou eu... cada um levou o pouco que eu tinha... resto apenas eu!"

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Não me apetece!


Comprar prenda alguma!


Desejo juntar a familia, em paz e harmonia para celebrar o nascimento do Deus Menino...
Não sei o que vejo... nem tão pouco o que sinto... uma confusão de luzes, cores e brilhos artificiais! Antigamente gostava disto... hoje apenas sinto o frio, o frio de tanta cor e luzes a metro... talvez esteja a ficar miupe e veja mal... mas ainda assim, sinto o frio... e estou bem agasalhada, com a Graça de Deus!

Tenho no meu local de trabalho um pequeno presépio, quando digo pequeno, é em relação ao seu tamanho. Perguntei se o queriam colocar "na linha da frente", onde todos O vissem, onde todos podessem relembrar o porquê do Natal. A resposta foi: "Não tenho espaço!"

Assim como há mais de 2.000 anos, também hoje "não há lugar na estalagem". Naquela frase; "não tenho espaço", vi um coração frio e pobre... e cheio de tralha, um verdadeiro ferro-velho onde cheira a mofo...

Sinto-me triste! Queria ver o Deus Menino, num berço todo bonito, feito da madeira mais rica... com uns lençóis todos bordados á mão, e a colcha... da lã mais pura! Tudo isso O haveria de aquecer...

O Deus Menino, nasceu no mais pobre e humilde ambiente... e porquê? Em que berço vou deitar "eu", "tu"... o Deus Menino?

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

24 De Novembro!



Precisamente a 1 mês da celebração do Natal. A 24 de Dezembro, as familias reunem-se em paz e harmonia, para festejar o Nascimento do Deus Menino e tudo o que Ele mesmo representa.

24/11/2006;

Dia de temporal; chuva intensa e muito vento. Jamais esquecerei esse dia... os que comigo cruzaram nesse dia, mostravam descontentamento pelas condições climatéricas, eu... mostrava-lhes um sorriso de orelha a orelha... este dia marcava a mudança radical na minha vida, o dia em que JESUS apresentava a Sua vitória na minha vida, vencendo a tristeza de morte. Era de facto motivo mais do que suficiente para sorrir em dia de verdadeiro temporal!

24/11/2011;

Vários meses de luta, uma luta pelo que me sentia chamada a realizar. A oportunidade vinda de DEUS, as muitas provações... superadas apenas pela fé, pela oração de intercessão de muitos... de facto, volvidos 5 anos, JESUS, volta a apresentar a Sua vitória na minha vida, a mim... coube-me o singelo papel de tudo fazer, o que estava ao meu alcance. O que mais me tocou? Foi ouvir entre um grande sorriso e analisando o meu perfil:

- "Consegue perceber que onde se sente mais realizada, é precisamente naquilo que não gostava? Parece como que um castigo Divino." -  Sorrimos com cumplicidade... os meus olhos brilhavam mais que dois berlindes de cristal... mas nenhuma lágrima caiu!

Ao que chamaram castigo Divino, é na realidade a Vontade de DEUS, a mim coube-me a infima parte de A cumprir [Vontade de Deus]. Deus, não é castigador... é Pai de Amor e como tal, corrige e encaminha...

Tal como no nascimento do DEUS Menino, se percebe o papel importante de Maria, também aqui... vejo N. Senhora, como a Grande Intercessora, Medianeira de todas as Graças... Mãe atenta a todos os seus filhos...

Louvado seja N. Senhor Jesus Cristo e Sua  Mãe Maria Santissima!

Agora... peço a N. Senhora que me conduza e me ilumine em relação a algo, a que não vejo final á vista!

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

O Pão, a marmelada e Deus!




Vivemos tempos difíceis, esta crise generalizada e contagiante... que não dá sinal de ir-se embora tão cedo!

Não vivo ainda, tempos de crise aguda... mas como qualquer família portuguesa faço as minhas contas e  "ginástica" ao orçamento familiar.

- "Ofereceram-nos pão! Também quer?"

Absorta nas minhas tarefas, sorri e disse-lhe: - Não, obrigada!" - Olhei e ainda ali estava... como que á espera de uma resposta sensata. Sorri-lhe de novo e de novo indagou:

- "Ofereceram-nos pão! Também quer?" - Multipliquei o agregado familiar pelos pães (bolinhas/ carcaças/ papo seco) e disse-lhe o nº. Meditei no meu intimo no que estava ali a passar-se... agradeci a Deus o gesto da oferta do pão... a insistência na partilha, pedi apenas o que julguei ser justo e aceitei com humildade.

Na manhã seguinte... entrei no café, com o mesmo sorriso que habitualmente levo comigo, duas coisas que me acompanham sempre é JESUS e o meu sorriso... pena que muitas das vezes, tenho que o encarcerar (ao sorriso).

Á minha espera, o café em cima do balcão acabadinho de sair, o copo com água e o adoçante... sou de hábitos certos, já nem preciso de pedir... estendi-lhe a minha mão e de uma só vez, "dei-lhe" Maria e JESUS! Uma pequena dezena... singela, mas bonita e abençoada pelo Sr. Padre, pois que a quem se destinava, não vai á Missa!

Os seus olhos rasgaram-se de alegria, ao ver aquele pequenino pacote com o selo de Fátima! Abriu, sorriu e caiu num choro... as palavras que proferiu, guardei-as no coração e levo-as a JESUS. Ouvi o seu choro... a sua dor por tão grande saudade dos seus falecidos pais... foi há tão pouco tempo e um de seguida ao outro... quase que partiram de mão dada!

Falei-lhe do luto, da dor, da saudade... que dói... dói tanto que até fere... mas quando assim dói, é sinal que começou a curar! Limpou o rosto... que havia sido lavado pelas suas lágrimas... e de rompante ofereceu-me marmelada!

- "Tome... fui eu que fiz! Gosta? Não ficou muito bem... mas está saborosa!" - Lembrando-me do dia anterior, do episódio do pão... agradeci e aceitei com um sorriso!

Afinal, nestas coisas de levar JESUS... nem sempre tem sabor amargo, desta vez soube-me a marmelada, e estava mesmo saborosa!

LOUVADO seja N. SENHOR JESUS CRISTO e SUA MÃE Mª SANTISSIMA

Apontando-lhe o dedo... ( II )





Enquanto ouvia aquela alma, amada e desejada por DEUS PAI... senti um vazio no estômago. Um misto de dor... surpresa... agonia até... não sei explicar. Não procurei nada daquilo, não fiz perguntas... ouvi somente e desejei muito não ouvir, não saber...

Lembrei-me de Sua Santidade o Papa Bento XVI. Sua Santidade, ao ouvir algumas vitimas... chorou com elas... mostrou a sua dor, compaixão... portou-se não só como Pastor, mas como pai de coração ferido...

Sugiro a leitura deste documento emitido pelo N. Estimado Papa, aqui.

No meio do rebuliço que se havia instalado no meu interior... quis continuar a "dar" JESUS aquela alma. Quis acima de tudo relembrar, que a parte não é o todo. Que na sua maioria, o Sacerdote - pessoa de Cristo - é alguém em quem podemos confiar, é na verdade um amigo de JESUS e rosto de CRISTO. Testemunhei-lhe o quanto já fui ajudada pelos Sacerdotes...

Sai dali, com a ideia que tinha dado muito pouco. Procurei ajuda junto de um Sacerdote... pedi-lhe ajuda, luz para o caminho... a resposta, a sua resposta surpreendeu-me... o caminho era precisamente aquele, perdoar e pedir perdão... acreditar no Amor da Igreja e de Cristo. No fim... colocou-me ele [sacerdote] em novo rebuliço interiror, confiou-se ás minhas orações e pediu-me oração pela santificação dos sacerdotes!

Na verdade, eu confio nos Sacerdotes!


terça-feira, 15 de novembro de 2011

Apontando-lhe o dedo...




... acusavam esta alma (é assim que identificarei a pessoa em questão), que não ia á missa... que tinha deixado DEUS, etc, etc...

A meu ver, quem diz o que quer, acaba por ouvir o que não gosta! Foi o que aconteceu.

Esta alma sentiu-se julgada injustamente... depois de ter sofrido anos a fio em silêncio! Saltou-lhe a tampa (explodiu) ... verbalizou o que tinha sofrido em criança, no momento do Sacramento da Confissão. Ainda  quiseram julgar de novo esta alma... e suportou ainda mais!

A sós... contou-me serenamente o que provocou o seu afastamento da igreja... os muitos jovens de "famílias de bem", que olhavam de lado e excluíam os mais humildes (foi assim que esta alma o sentiu)... que no Sacramento da Confissão, o que lhe era feito, não era normal... em nada lhe parecia normal, pois na sua inocência de criança, nada daquilo conhecia... tinha medo, medo de falar... de contar...medo que a sua palavra fosse colocada em jogo. Quando já em idade adulta ouviu falar de pedófilia... soube então o que tinha vivido... na solidão, no silêncio... mas já se havia afastado!

A serenidade, conferiu-lhe autenticidade... os pormenores, esses... conferiam dor, injustiça... não senti nesta alma, revolta, nem desejo de vingança... mas senti-lhe as feridas ainda abertas e descrédito na pessoa do Padre, que é na realidade a verdadeira extensão da Pessoa de Cristo, pelo Sacramento da Ordem.

Disse-lhe muito pouco... sou pequena demais...

Afirmei que a dignidade é Jesus quem no-la dá! Ao Sacerdote, é JESUS quem lhe confere o poder de administrar os Seus Bens (Bênção Sacerdotal/ Sacramentos), que o Padre enquanto homem é um simples pecador, como todos nós... pedi-lhe que rezasse por quem lhe fez sofrer... que procurasse o Sacramento da Reconciliação... e que lá entregasse toda a dor... a revolta, a mágoa. Indiquei-lhe um Padre Jovem... é mais fácil uma alma ainda jovem falar com um Padre Jovem (acho eu)... acredito que estes têm sido sensibilizados para estes assuntos, aquando da sua formação! O Santo Padre, Papa Bento XVI, mostrou-se solidário para com estas almas... chorou com muitos deles e Cristo continua a Sofrer!

Doeu-me ouvir... saber que aconteceu e percebi no meu intimo, que o Sagrado Coração de Jesus Sangra, mas ainda assim... a todos quer salvar!





sexta-feira, 11 de novembro de 2011

O "Mimo" de JESUS CRISTO! ( III )


O Pe. Joãozinho, falou na amizade como fonte de cura, como caminho para DEUS e veiculo de salvação.

Sim. A amizade tem todo este poder... digo-o eu há muito, não porque seja muito iluminada ou detentora de uma grande sabedoria... não, nada disso. Apenas porque foi isso que experimentei!

10/11/2006 - Recebi e Efusão do Espirito Santo, pela 1ª vez, por intercessão de um amigo de JESUS, e que durante algum tempo também foi meu amigo. Em nome e pelo poder de JESUS,  foi-me guiando pelo caminho de DEUS, o meu coração foi sendo curado de tanta dor e multiplos ferimentos. A mágoa, o ressentimento... eram pesos desnecessários que eu carregava... fui sendo liberta de tudo, pelo poder e Misericórdia de JESUS.

Na verdade, nada disto se daria se não houvesse o caminho da amizade, onde se exercita a confiança, a esperança... é um trilho dificil de percorrer sem ajuda de confiança. Caminhada partilhada, caminhada aliviada! O amigo sempre nos impulsiona, nos instiga a continuar, quando na fraqueza queremos desistir...

Senti a dada altura, que não caminhava apenas com um amigo... mas antes com um "irmão", filho do mesmo PAI e da mesma MÃE - DEUS é PAI e MÃE. Logo um irmão de "Sangue"... fomos resgatados pelo Precioso Sangue de JESUS CRISTO, que não jorrou em vão...foi para nossa SALVAÇÃO!

Uma amizade assim... é algo muito nobre, muito sublime... hoje, e sabe Deus porquê, não pude pela 1ª vez vez, receber a benção deste amigo, nesta data... lamento... apenas isso... lamento que uma amizade tão sublime tenha sofrido um golpe tão duro, como é o golpe da indiferença! 

Nesta hora, e em vez de pedir-lhe a benção, peço para este amigo, a benção de JESUS CRISTO, que o ilumine, guie e fortaleça... que os seus passos sejam firmes e que a muitos continue a  ajudar! Sigo para Cristo, com a alegria da certeza que é Ele quem me guia e ampara nesta hora... que me ilumina e instrui. Não há certamente alegria maior, que esta certeza... que ELE está junto de mim, em todo o momento e hora!

Obrigada Padre Joãozinho, por me confirmar na fé!
   



quarta-feira, 9 de novembro de 2011

O "Mimo" de JESUS CRISTO ( II )


Por estes dias, tive a graça de poder ouvir este grande homem de Deus - Pe. Joãozinho SCJ!

"Deixai-vos conduzir pelo Espirito Santo" - Tema do encontro.

Tenho aqui partilhado, o muito que ás vezes sinto caminhar ás escuras... partilho ainda várias vezes, como me vou abandonando, através da oração, em JESUS CRISTO. Grande parte dos meus problemas têm sido resolvidos assim, pela acção do Espirito Santo. Algumas vezes já me questionaram: "como vais fazer?" -e outras tantas vezes... fechei os meus olhos, deixando cair as lágrimas livremente... com o coração dizia apenas a JESUS: "só Tu sabes o quê e como..."

Sim. Estive em Fátima a ouvir o Pe. Joãozinho. Este homem de Deus está impregnado da Ternura de Deus, do Amor de Deus... diz-se que a boca só fala do que o coração está cheio... e este filho muito amado de DEUS, tem o coração repleto D'Ele!

Não senti o fogo do Espirito Santo, não me senti arrebatada em momento algum... estas palestras serviram para me confirmar na fé, no caminho... mais á base do: "É por aqui!"

Fui sózinha, pernoitei num "excelente quarto", um verdadeiro "luxo", acompanhada por JESUS á cabeceira e N. Senhora aos pés da cama... a janela, essa dava para um telhado... mas sim, o quarto era um luxo. É um luxo, ficar a sós com JESUS e MARIA!

A dada altura, o orador (Pe. Joãozinho) falava do caminhar do cristão, ora em cima, ora em baixo... e exemplificava dando passadas...

Percebi que no momento em que experimento a dor do "Horto", onde estou dolorosamente só... estou na realidade com JESUS na Sua agonia... a ausência dos amigos nessa hora, é sinal das suas fragilidades pessoais. Se magoa? Claro! JESUS, também repreendeu os seus - "não pudeste vigiar comigo?" - mas os amigos, são humanos... fragéis por assim dizer!

Percebi que devo respeitar essa fragilidade... se me é permitida a dor do "Horto", creio que também me será permitida a alegria da Ressurreição!



terça-feira, 8 de novembro de 2011

domingo, 6 de novembro de 2011

O "Mimo" de JESUS CRISTO!


JESUS, mima-me de uma maneira tal... que eu só consigo sentir-LHE a Saudade!
Assim que poder, venho aqui contar-vos!

A Paz de Jesus para cada um, que por aqui passe.

Eu amo JESUS!

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Amar JESUS...




...é caminhar quando a luz se apaga!
...é sentir segurança, quando o mundo te abandona!
...é recomeçar de novo... sem medo da derrota!
...é levantar a cada queda!
...é confiar... que para lá dos nevoeiros da vida, é JESUS quem nos guia! 

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Ela acredita na "energia do cosmos"...



... e eu, acredito em Deus!

Almoçamos muitas vezes juntas, e temos variadissimos diálogos. Muito antes de saber no que ela acreditava, já eu havia falado de JESUS, do quanto Ele ama cada um dos seus filhos... do quanto Ele tem feito em mim e na minha vida!

Estava comigo há uns meses, quando reflecti em alta voz no que N. Senhor me estava a preparar... e eu, despistada como sou... nem estava a "vêr"!

-"O universo está a retribuir-lhe, o que vc lhe tem dado." - Disse-me ela. Sorri-lhe num tom, em que me entendeu na perfeição... dizendo depois: "Ok, vc não acredita no mesmo que eu..."

Disse-lhe apenas o que eu "via": "Isto tem a mão de Deus..." 

Desta vez... pediu-me conselhos. Foi mãe há pouco, e tudo muda... as rotinas domésticas, laborais e conjugais até... o cansaço que sente, as muitas tarefas que quer dividir com o marido e as muitas a que ele se recusa a fazer, ou faz mal!

Não me senti nenhuma "mestrina", vasculhei no meu viver o que de bom consegui dizer, fazer... recordei as muitas frustrações que senti, num cansaço tão extremo... vivido no silêncio e sem auxilio significativo. O buraco de tristeza onde cai... num silêncio incompreendido. Disse-lhe que devia agradecer ao marido, os mais pequenos gestos de ajuda... mesmo mal feitos, ou feitos de má vontade... é o caminho... não sei outro, ou melhor... entrar pelo caminho da discórdia, é damasiado perigoso. Sou uma mulher prudente e usualmente, não opto por terrenos "minados", pode dar-se o caso de rebentar mesmo debaixo dos meus pés!

Á pergunta "Porque eles são tão egoistas?", respondi-lhe: "Por algum motivo, é que somos nós as mães... e ainda bem, eu não trocava!"




segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Moeda a moeda...


... para estar com Jesus!

Sei muito bem, que necessito ir encher o meu "depósito" á Fonte, em Igreja!

Esta crise generalizada, veio trazer muitas mudanças... muitos cortes nos diversos gastos, e eu não fujo á regra!

Ocorreu-me recorrer á matemática e fiz contas... 2,00€ por dia, ou apenas 1€... teria de fazer esse pequeno gesto e tenho feito! O resultado? Muito positivo!



O Serviço!


O Pe. falou do serviço. Estar ao serviço dos outros, amar o outro estando ao seu serviço, em gesto de humildade! Eu, não tenho estado em "serviço", pelo menos na linha da frente. Rezo assim pelos que lá estão.

Por motivos vários, entreguei hoje o que me havia sido confiado, enquanto estive ao serviço! Procurei quem coordena... e inventariei tudo o que devolvi. A resposta surpreendeu-me: - "Precisamos de ti!"

Ouvi com atenção todos os progressos que têm feito, ouvi ainda as várias necessidades... argumentei em minha defesa, com verdade e sem entrar em detalhes. Só Deus sabe o que virá!

E porque em mim, só ainda estava Jesus... sai e fui comer! Calmamente digeri aqueles alimentos... voltei a entrar e... Adorava-se JESUS!

No ultimo banco, ajoelhei-me... peguei no meu terço e pedi por aquele que está doente nesta hora, filho amado de JESUS! No meu coração, ecoavam as promessas matrimoniais... promessas essas, que nunca perdi de vista! O que senti naquela hora, é que apesar de "tudo", não devo nunca perder de "vista", estas promessas.   

No fim do terço, alguém me ofereceu a oração do Magnificat... rezei-a em forma de conclusão do terço. Abri a Sagrada Escritura, e surpresa total... de novo o mesmo Salmo (Sl 139(138)) - da Bíblia dos Capuchinhos. Devo abandonar-me a N. Senhor, é este o meu caminho...

Irromperam a cantar em alta voz:   Eis-me aqui Senhor... o meu coração é para Ti... - as lágrimas caíram no mesmo tom em que cantavam!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Providência Divina!


No dia em que o Pe. me disse, que N. Senhor me tinha dado um grande dom, o dom de me abandonar à Sua vontade, não entendi...

Ontem precisava de algo para o meu dia-á-dia, procurei... mas voltei de mãos vazias, sabe Deus porquê.
O dia a acabar e eu ainda a precisar... ao inicio da noite, foi-me ofertado!

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Oração Pós-Comunhão!



Disse-LHE que O queria amar mais, que queria ser D'Ele.... que sim, que me entregava por eles, sómente por amor a Ele!

No dia seguinte Deu-me a conhecer mais um filho... uma filha muito amada, a quem N. Senhor quer consolar, curar e trazer de novo á vida! Assim saiba eu cumprir a minha parte...


terça-feira, 25 de outubro de 2011

Com idade suficiente...


... para ser minha mãe, contou-me as suas dificuldades nos primeiros anos de casada. Uma história bonita, mas com várias dores pelo meio.

Ouvi-a com carinho... aprecio de verdade estes momentos. Um almoço tranquilo e em espaço privado...

Foi amor á primeira vista, contou.
- "Não eramos experientes na vida, nem eu... nem ele..."  Embrulhou-se-lhe a voz e adiantou: -"era virgem, entendes? Acreditas que já depois do casamento consumado, eu achava que ainda era virgem? Ai que tapadinha... não sabia mesmo nada. Foi o médico que nos explicou, que ao perder a virgindade, não teria necessariamente que haver rompimento do hímen. Descobrimos que estava grávida!"

Ouvi-a com atenção e com muita ternura... o marido batia-lhe, nos primeiros anos de casada. Havia crescido nesse ambiente violento, era o que conhecia... a mãe dela, encorajava-a a ficar casada, assegurava-lhe que ele mudaria. O filho, teria apenas uns 7 anos... ao vêr o pai a querer agredir a mãe, fez-lhe um ultimato, prometeu colocá-lo [ao pai] na rua. O pai parou... saiu porta fora... voltou ao fim de algumas horas e remédio santo, nunca mais lhe levantou a mão.

Esposa de um homem só! Foi o que pensei durante a nossa conversa... com tantos anos de diferença, senti-me igual [excepto na agressão e alguns conhecimentos]. Também nunca tive ninguém que me preparasse para a vida... fui sempre atenta, curiosa e prudente. Aprendi muito sobre a reprodução humana, em ciencias e saude. No fundo, funcionou como educação sexual! Não entendo por isso, porque hoje tantos se opõem... o saber cientifico não ocupa lugar! Saber como funciona o nosso corpo é um bem inestimável, já a formação moral... essa vem de casa, desde o berço! Será que é disto que têm medo? É que dá trabalho?!

Recordo o meu tempo de gestação, houve um momento que me senti "ofendida"... as enfermeiras, deram-me um formulário que deveria preencher criteriosamente. Encontrava-me só com o meu bebé [na bariga], já não recordo quantas perguntas tinha aquele questionário... mas recordo bem, as questões que me chocaram: 

 - Quantos parceiros teve? 
 - Com que idade iniciou a sua vida sexual?

Havia mais... mas estas duas questões, ofenderam-me! Gritei em silêncio, com vontade de rasgar aquilo tudo... respondi com sinceridade, mas contrariada! Afinal, eu sempre fui esposa de um homem só!

Mesmo sem nunca ninguém me preparar para a vida, decidi desde muito cedo, que só "me levaria" quem de facto me merecesse! Foi o que fiz!

Nestes tempos de facilidades e facilitismos, o que está errado, assim como há trinta anos atrás... é quem deve cuidar de preparar para a vida, demitir-se dessa função! É esta a minha opinião... não sei se valerá alguma coisa, nem se terá impacto algum dia... mas sempre tracei o meu caminho, sem curvas, sem desvios... não foi de todo fácil, mas é possivel! Houve dor, lágrimas, solidão e noite escura... mas tudo isso me fez mais forte, mais capaz, mais fiel aos meus principios morais, dos quais não abro mão!  

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Assim mesmo...


... exausta até aos ossos, venho aqui dizer: Bom-dia!

A queda!


Caiu desamparado, escorregou-lhe a canadiana (muleta), disse. Juntos, cada um ajudou-o a levantar-se... a perna que tinha ficado dobrada, o corpo pesado naquele espaço pequeno...

- Calma! - Adiantei-lhe. - Com Calma, vamos lá... devagar.

Aos poucos, foi-se virando... sentou-se ainda no chão, com a nossa ajuda, e com  a nossa ajuda colocou-se de pé e caminhou só, com a sua canadiana (muleta).  A santa Missa começou!

Creio que comunidade é isto mesmo! A entre-ajuda, o ajudar a levantar, o deixar caminhar...



 

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Sacramento da Reconciliação.



Disse-me:

- "Oh, mãe!!! Eu não quero cofessar-me a outro padre! Porquê mãe? Porquê mãe, não me ouves?"

Ouvi bem as suas questões, e... as suas também são as minhas questões! Respondi-lhe apenas: "Padre, é padre. Habitua-te a confessar-te a qualquer padre!"

- "Mãeeee! O padre disse os meus pecados, e depois perguntou-me se era isso que eu queria confessar?! - Abri os meus olhos de espanto e argumentei:

-Diz-me, além do que o padre disse, tinhas mais algum "pecado" para confessar? - "Não, mãe!"
-Diz-me ainda, o padre deu-te a absolvição e penitência? - "Sim."
-Então cumpre a penitência e o Sacramento da Reconciliação estará completo!

O que eu não disse; foi que também eu me senti "mal confessada"... ás questões que coloquei, não me foi dada qualquer direcção espiritual...

Peço a N. Senhor, que me ilumine e guie até encontrar novo confessor...

5 Anos!


Faz este mês, 5 anos que regressei á casa do Pai.
Não recordo o dia do mês, mas recordo o dia da semana - Segunda-feira!

Neste momento, venho aqui reflectir em tudo o que mudou na minha vida... no meu caminho.
Olhando para trás... posso dizer que uma unica mudança, é verdadeiramente importante: - Abrir o coração a Jesus!
N. Senhor, desde o inicio que me tirou todas as minhas certezas e "eu quero"...podou cada "galho" meu, como quem poda uma videira, não para que esta morra, mas antes para que dê mais fruto! 

A acção de N. Senhor é tão forte, tão real na minha vida... que nem as injurias, os falsos testemunhos, ameaças, difamações e afins... são suficientes para me afastar do caminho de DEUS Pai, que é um Pai de Amor!

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Eu não desisto!


Venho aqui gritar que, EU NÃO DESISTO! Ok?

Não sou pessoa de desistir, posso aguardar pacientemente a minha vez... ficar em compasso de espera, mas não desisto, nunca desisti... de mim, dos meus sonhos, dos meus objectivos!

Eu luto e continuarei a lutar, até ser a hora de parar!

Hoje...


... sinto-me assim! Parece que fui atropelada por um cilindro!!!!
Bolas! Estou de rastos... e hoje, à semelhança de toda a semana, vai ser um dia longo!

HELP!!!

domingo, 16 de outubro de 2011

Desculpem... é Cansaço Extremo...


...o que eu sinto! Apenas 3 horas de sono efectivo e muitaaaaaaaaaaaas a trabalhar!


Acho que vou adormecer a qualquer momento... em qualquer lado... e ainda tenho tanto pela frente!!!!!!!

Oh, Deus!!!!!!!

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Eu Pedi! ( Parte III )

Continuação



 Certamente já todos nós passámos por momento de sede. Momentos em que não temos água por perto, ou então por necessidade de exames clinicos, entre outros.

 Eu já passei sede, de forma a sentir os lábios a arder... na hora em que me foi dada água, oh que maravilha... que satisfação, parece que o nosso organismo ganha novo vigor.

Foi isso que pedi a Deus, desta vez. Não, não LHE pedi um copo de água... pedi antes, a graça de poder "dar o ultimo copo de água", a quem tanto devo. Não serei porventura aguadeira alguma... explico antes o sentido.

"Dar o ultimo copo de água", significa serviço. O serviço que se presta por caridade, amizade e/ou gratidão. Não será de facto o momento mais agradável, que desejamos... nem sequer de grande entusiasmo, mas é isso mesmo que eu pedi a DEUS.

Pedi exactamente a DEUS, não estar presente nos momentos de alegria, de sucesso... mas antes, naqueles momentos em que só os amigos verdadeiros e fiéis permanecem... foi isso que pedi! Quando até as faculdades mais básicas falham e em tudo se depende dos outros... é nesses momentos que farei questão de me fazer presente, de servir... em sinal de gratidão pura, sem nada mais esperar em troca!

Como e quando? Isso é tarefa de Deus Pai, que é um Pai Misericordioso, eu apenas LHE pedi! Talvez até nunca precisem de nada...

----------

Patilho aqui, a musica que o meu coração cantou logo ao despertar!



quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Eu Pedi! ( Parte II )

(Continuação)



  No dia em que decidi regressar a Casa do Pai, senti-me na realidade a viver o papel do filho pródigo, quando este se decide a regressar a casa. Ali, na igreja... foram-me dadas vestes novas [Sacramento da Reconciliação], foi-me colocado um anel no dedo [o meu compromisso com JESUS] e... houve uma enorme festa... com direito a Banquete [Banquete da Palavra] e a belíssimos presentes [aqui perdoem-me, mas não especifico quais, apenas realço que são apenas ferramentas para a caminhada em Cristo].

 Dava agora inicio a um processo de restauração, com a oração de quem me havia recebido em nome de JESUS, com o seu trabalho perseverante e até cuidado [o cuidado de quem encaminha, de quem ouve,  aconselha, ensina e incentiva]. Esta restauração de que falo... é na verdade mais um Ressuscitar, para a alegria da vida, que é um verdadeiro Dom de Deus.

 Foi aqui que JESUS, aconteceu na minha vida! Quando digo acontecer... foi quando O senti Vivo e Presente na minha vida... não que Ele me tivesse abandonado até então, mas eu não O conseguia ouvir e sentir...

 Depois de ter "renascido", foi tempo de reconhecer a presença de Deus em todo o meu caminho, surpreendentemente... ELE esteve sempre lá, comoveu-me sentir que nunca caminhei sózinha... e muitas das vezes, caminhei ao Seu colo...

 Quando sentimos que irmãos de caminhada, nos levaram a "vêr" Cristo, a "ouvi-LO"... a senti-LO na nossa vida, percebemos que nunca lhe conseguiremos agradecer, que nada será suficientemente comparável ao que fizeram por nós. 

 Ao chegar a este ponto, pedi a Deus a Graça de poder um dia retribuir-lhes... 


( continua )



segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Eu pedi! (Parte I)


Sempre pedi muito a Deus! Confesso-me uma grande "pedinchona"... tem a sua graça. Eu explico!

Durante algum tempo, vivi afastada de Deus. Não me zanguei com a igreja e muito menos com Deus, mas não sentia a "fé", não vivia JESUS, limitava-me apenas a cumprir um preceito - ir á Missa de Domingo.

Não sei explicar como não conseguia viver JESUS, muito menos como não conseguia sentir a "fé". A dor e o sofrimento cresciam a par com a minha revolta, uma revolta com a humanidade, com o mundo... tudo me parecia grande demais para mim.

De personalidade reservada, pacata e tímida, muitos dos meus diálogos eram feitos com DEUS, apenas com ELE. Nesse tempo, nunca o ouvi... ou melhor, nunca "baixei o som do meu coração, para O poder ouvir."

Sozinha, sofrida e revoltada, era assim que eu era! Falava com Deus, como se de um amigo se tratasse... assim, num "tu cá, tu lá", falava-LHE então das minhas dores, da minha revolta, da minha solidão... perguntava-LHE se aquilo era normal, se tinha mesmo de ser assim... pedia-LHE que agisse e... reconheço que LHE pedi muito, muito mesmo... muitos impossiveis. A cada pedido que LHE fazia, não via de facto nada a acontecer... muito pelo contrário, parecia-me ter sido esquecida também por DEUS! Doía mais sentir-me esquecida por Deus, do que pelos meus familiares.

Fiz o caminho do filho pródigo. Peguei na minha parte e afastei-me  da Casa do Pai [ainda assim falava-LHE], gastei o pouco que tinha comigo e passei fome... a fome de DEUS, a fome da Palavra de Deus e do Seu Pão Sagrado, que é verdadeiramente o Seu Corpo e Sangue.


(continua)