segunda-feira, 27 de junho de 2011

Segurar a "vida" nas mãos...


... é como segurar a areia nas mãos, um dia lá se vai!

Não adianta prender, o que não quer ser "prendido".
Não adianta segurar, o que não quer ser "segurado".

Se te olham e não te dão o devido valor, é porque não sabem realmente quem tu és... não te conhecem verdadeiramente.
Se te olham e te julgam pela aparência que tu tens, então estás perante alguém muito pobre... alguém que não consegue ver além das aparências.
Se te agradecem e te dizem palavras bonitas, apenas quando ofereces algo...então estás perante alguém muito egoísta, que apenas consegue ver o seu umbigo, as suas necessidades...

Quando te dizem toda a espécie de palavras, que em nada valorizam o teu trabalho e esforço diário... quando se queixam do "quanto" fazem...  - e que apenas só te ajudam - não reparando que tu o fazes diariamente sozinha (o) e em momento algum, reparam no aspecto cansado que exibes... é sinal que não és importante! É sinal que apenas fazes... como faz uma peça qualquer de uma engrenagem mecânica, só que não és uma máquina! 

Ás vezes gostava de ser uma máquina, avariava e não fazia mais até que viesse a assistência técnica!  

O que fiz?
Recusei-me a desistir e... fiz uma festa! Provei que o resto não é comigo... está nas mãos de Deus, e na de quem quiser aceitar os Seus planos!



4 comentários:

Fa menor disse...

Minha amiga,
estas tuas palavras são, elas próprias, festa. E música para o meus ouvidos.
É assim que também penso muitas vezes.

Beijinhos

Filha de Maria disse...

Amiga Fa;

Que bom ver-te por cá...

Obrigada por me confirmares... nem sabes como necessito...

Beijinho fraterno.

concha disse...

Amiga Maria
Tudo o que dizes é bem verdade e também gostaria de acrescentar que há ocasiões em que nos enchem de elogios e felizmente que com o discernimento de Deus conseguimos perceber que não vem do interior.Rejeitar este tipo de situações,ainda que muitas vezes só interiormente,ajuda a ser inteiro, a ser eu própria.
Beijinho grande

Filha de Maria disse...

Amiga Concha;

Os relacionamentos humanos, nunca serão simples... mas tenhamos sempre a coragem de acreditar no outro...

Beijinho fraterno