domingo, 7 de agosto de 2011

As lágrimas...


... que derramei, é um sinal nitido da minha exaustão. Cairam livremente pelo meu rosto... em silêncio...

Não suporto ameaças... confesso que não sei viver assim.
Não suporto discussões sem sentido... gratuitas até... deixando adivinhar um prazer maléfico de magoar, por magoar... ferir, por ferir...

Se há momentos em que aguento firme. Hoje não... hoje não... sinto que as minhas forças se estão a ir, a uma velocidade estonteante, receio desistir a qualquer momento... necessito continuar... não só por mim... mas necessito continuar!

E porque nem tudo são espinhos... as lágrimas também se assomaram... pela alegria de quem usufruiu da minha singela ajuda. Estas ultimas foram de alegria! Ele há forças que me chegam de uma forma "estranha"... mas chegam!

3 comentários:

Maria Luiza disse...

Bem não ficou claro o assunto para lhe dizer algo que a edifique, mas eu posso dizer-lhe algo incontestável, imutável: tudo nesta vida passa. Isso também vai passar. Linda e abençoada semana!

Dulce disse...

A força que te chega - tu bem sabes lá no fundo - não tem nada de estranha. É a força de Deus provando que a persistência é uma virtude apreciada, ainda que com lágrimas de decepção , angústia ou indignação.
Canaliza essa força para continuar.
Um beijinho grande

teresa disse...

deixo-te um abraço bem apertadinho carregadinho de muita força ...
há dias assim amiga mas temos um bem , 1-º como diz o poema das pegadas é nesses momentos que somos carregados ão colo por «ELE» ..
e o dia de amanha será sempre melhor ....

jinhos grandes ...