sexta-feira, 25 de novembro de 2011

24 De Novembro!



Precisamente a 1 mês da celebração do Natal. A 24 de Dezembro, as familias reunem-se em paz e harmonia, para festejar o Nascimento do Deus Menino e tudo o que Ele mesmo representa.

24/11/2006;

Dia de temporal; chuva intensa e muito vento. Jamais esquecerei esse dia... os que comigo cruzaram nesse dia, mostravam descontentamento pelas condições climatéricas, eu... mostrava-lhes um sorriso de orelha a orelha... este dia marcava a mudança radical na minha vida, o dia em que JESUS apresentava a Sua vitória na minha vida, vencendo a tristeza de morte. Era de facto motivo mais do que suficiente para sorrir em dia de verdadeiro temporal!

24/11/2011;

Vários meses de luta, uma luta pelo que me sentia chamada a realizar. A oportunidade vinda de DEUS, as muitas provações... superadas apenas pela fé, pela oração de intercessão de muitos... de facto, volvidos 5 anos, JESUS, volta a apresentar a Sua vitória na minha vida, a mim... coube-me o singelo papel de tudo fazer, o que estava ao meu alcance. O que mais me tocou? Foi ouvir entre um grande sorriso e analisando o meu perfil:

- "Consegue perceber que onde se sente mais realizada, é precisamente naquilo que não gostava? Parece como que um castigo Divino." -  Sorrimos com cumplicidade... os meus olhos brilhavam mais que dois berlindes de cristal... mas nenhuma lágrima caiu!

Ao que chamaram castigo Divino, é na realidade a Vontade de DEUS, a mim coube-me a infima parte de A cumprir [Vontade de Deus]. Deus, não é castigador... é Pai de Amor e como tal, corrige e encaminha...

Tal como no nascimento do DEUS Menino, se percebe o papel importante de Maria, também aqui... vejo N. Senhora, como a Grande Intercessora, Medianeira de todas as Graças... Mãe atenta a todos os seus filhos...

Louvado seja N. Senhor Jesus Cristo e Sua  Mãe Maria Santissima!

Agora... peço a N. Senhora que me conduza e me ilumine em relação a algo, a que não vejo final á vista!

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

O Pão, a marmelada e Deus!




Vivemos tempos difíceis, esta crise generalizada e contagiante... que não dá sinal de ir-se embora tão cedo!

Não vivo ainda, tempos de crise aguda... mas como qualquer família portuguesa faço as minhas contas e  "ginástica" ao orçamento familiar.

- "Ofereceram-nos pão! Também quer?"

Absorta nas minhas tarefas, sorri e disse-lhe: - Não, obrigada!" - Olhei e ainda ali estava... como que á espera de uma resposta sensata. Sorri-lhe de novo e de novo indagou:

- "Ofereceram-nos pão! Também quer?" - Multipliquei o agregado familiar pelos pães (bolinhas/ carcaças/ papo seco) e disse-lhe o nº. Meditei no meu intimo no que estava ali a passar-se... agradeci a Deus o gesto da oferta do pão... a insistência na partilha, pedi apenas o que julguei ser justo e aceitei com humildade.

Na manhã seguinte... entrei no café, com o mesmo sorriso que habitualmente levo comigo, duas coisas que me acompanham sempre é JESUS e o meu sorriso... pena que muitas das vezes, tenho que o encarcerar (ao sorriso).

Á minha espera, o café em cima do balcão acabadinho de sair, o copo com água e o adoçante... sou de hábitos certos, já nem preciso de pedir... estendi-lhe a minha mão e de uma só vez, "dei-lhe" Maria e JESUS! Uma pequena dezena... singela, mas bonita e abençoada pelo Sr. Padre, pois que a quem se destinava, não vai á Missa!

Os seus olhos rasgaram-se de alegria, ao ver aquele pequenino pacote com o selo de Fátima! Abriu, sorriu e caiu num choro... as palavras que proferiu, guardei-as no coração e levo-as a JESUS. Ouvi o seu choro... a sua dor por tão grande saudade dos seus falecidos pais... foi há tão pouco tempo e um de seguida ao outro... quase que partiram de mão dada!

Falei-lhe do luto, da dor, da saudade... que dói... dói tanto que até fere... mas quando assim dói, é sinal que começou a curar! Limpou o rosto... que havia sido lavado pelas suas lágrimas... e de rompante ofereceu-me marmelada!

- "Tome... fui eu que fiz! Gosta? Não ficou muito bem... mas está saborosa!" - Lembrando-me do dia anterior, do episódio do pão... agradeci e aceitei com um sorriso!

Afinal, nestas coisas de levar JESUS... nem sempre tem sabor amargo, desta vez soube-me a marmelada, e estava mesmo saborosa!

LOUVADO seja N. SENHOR JESUS CRISTO e SUA MÃE Mª SANTISSIMA

Apontando-lhe o dedo... ( II )





Enquanto ouvia aquela alma, amada e desejada por DEUS PAI... senti um vazio no estômago. Um misto de dor... surpresa... agonia até... não sei explicar. Não procurei nada daquilo, não fiz perguntas... ouvi somente e desejei muito não ouvir, não saber...

Lembrei-me de Sua Santidade o Papa Bento XVI. Sua Santidade, ao ouvir algumas vitimas... chorou com elas... mostrou a sua dor, compaixão... portou-se não só como Pastor, mas como pai de coração ferido...

Sugiro a leitura deste documento emitido pelo N. Estimado Papa, aqui.

No meio do rebuliço que se havia instalado no meu interior... quis continuar a "dar" JESUS aquela alma. Quis acima de tudo relembrar, que a parte não é o todo. Que na sua maioria, o Sacerdote - pessoa de Cristo - é alguém em quem podemos confiar, é na verdade um amigo de JESUS e rosto de CRISTO. Testemunhei-lhe o quanto já fui ajudada pelos Sacerdotes...

Sai dali, com a ideia que tinha dado muito pouco. Procurei ajuda junto de um Sacerdote... pedi-lhe ajuda, luz para o caminho... a resposta, a sua resposta surpreendeu-me... o caminho era precisamente aquele, perdoar e pedir perdão... acreditar no Amor da Igreja e de Cristo. No fim... colocou-me ele [sacerdote] em novo rebuliço interiror, confiou-se ás minhas orações e pediu-me oração pela santificação dos sacerdotes!

Na verdade, eu confio nos Sacerdotes!


terça-feira, 15 de novembro de 2011

Apontando-lhe o dedo...




... acusavam esta alma (é assim que identificarei a pessoa em questão), que não ia á missa... que tinha deixado DEUS, etc, etc...

A meu ver, quem diz o que quer, acaba por ouvir o que não gosta! Foi o que aconteceu.

Esta alma sentiu-se julgada injustamente... depois de ter sofrido anos a fio em silêncio! Saltou-lhe a tampa (explodiu) ... verbalizou o que tinha sofrido em criança, no momento do Sacramento da Confissão. Ainda  quiseram julgar de novo esta alma... e suportou ainda mais!

A sós... contou-me serenamente o que provocou o seu afastamento da igreja... os muitos jovens de "famílias de bem", que olhavam de lado e excluíam os mais humildes (foi assim que esta alma o sentiu)... que no Sacramento da Confissão, o que lhe era feito, não era normal... em nada lhe parecia normal, pois na sua inocência de criança, nada daquilo conhecia... tinha medo, medo de falar... de contar...medo que a sua palavra fosse colocada em jogo. Quando já em idade adulta ouviu falar de pedófilia... soube então o que tinha vivido... na solidão, no silêncio... mas já se havia afastado!

A serenidade, conferiu-lhe autenticidade... os pormenores, esses... conferiam dor, injustiça... não senti nesta alma, revolta, nem desejo de vingança... mas senti-lhe as feridas ainda abertas e descrédito na pessoa do Padre, que é na realidade a verdadeira extensão da Pessoa de Cristo, pelo Sacramento da Ordem.

Disse-lhe muito pouco... sou pequena demais...

Afirmei que a dignidade é Jesus quem no-la dá! Ao Sacerdote, é JESUS quem lhe confere o poder de administrar os Seus Bens (Bênção Sacerdotal/ Sacramentos), que o Padre enquanto homem é um simples pecador, como todos nós... pedi-lhe que rezasse por quem lhe fez sofrer... que procurasse o Sacramento da Reconciliação... e que lá entregasse toda a dor... a revolta, a mágoa. Indiquei-lhe um Padre Jovem... é mais fácil uma alma ainda jovem falar com um Padre Jovem (acho eu)... acredito que estes têm sido sensibilizados para estes assuntos, aquando da sua formação! O Santo Padre, Papa Bento XVI, mostrou-se solidário para com estas almas... chorou com muitos deles e Cristo continua a Sofrer!

Doeu-me ouvir... saber que aconteceu e percebi no meu intimo, que o Sagrado Coração de Jesus Sangra, mas ainda assim... a todos quer salvar!





sexta-feira, 11 de novembro de 2011

O "Mimo" de JESUS CRISTO! ( III )


O Pe. Joãozinho, falou na amizade como fonte de cura, como caminho para DEUS e veiculo de salvação.

Sim. A amizade tem todo este poder... digo-o eu há muito, não porque seja muito iluminada ou detentora de uma grande sabedoria... não, nada disso. Apenas porque foi isso que experimentei!

10/11/2006 - Recebi e Efusão do Espirito Santo, pela 1ª vez, por intercessão de um amigo de JESUS, e que durante algum tempo também foi meu amigo. Em nome e pelo poder de JESUS,  foi-me guiando pelo caminho de DEUS, o meu coração foi sendo curado de tanta dor e multiplos ferimentos. A mágoa, o ressentimento... eram pesos desnecessários que eu carregava... fui sendo liberta de tudo, pelo poder e Misericórdia de JESUS.

Na verdade, nada disto se daria se não houvesse o caminho da amizade, onde se exercita a confiança, a esperança... é um trilho dificil de percorrer sem ajuda de confiança. Caminhada partilhada, caminhada aliviada! O amigo sempre nos impulsiona, nos instiga a continuar, quando na fraqueza queremos desistir...

Senti a dada altura, que não caminhava apenas com um amigo... mas antes com um "irmão", filho do mesmo PAI e da mesma MÃE - DEUS é PAI e MÃE. Logo um irmão de "Sangue"... fomos resgatados pelo Precioso Sangue de JESUS CRISTO, que não jorrou em vão...foi para nossa SALVAÇÃO!

Uma amizade assim... é algo muito nobre, muito sublime... hoje, e sabe Deus porquê, não pude pela 1ª vez vez, receber a benção deste amigo, nesta data... lamento... apenas isso... lamento que uma amizade tão sublime tenha sofrido um golpe tão duro, como é o golpe da indiferença! 

Nesta hora, e em vez de pedir-lhe a benção, peço para este amigo, a benção de JESUS CRISTO, que o ilumine, guie e fortaleça... que os seus passos sejam firmes e que a muitos continue a  ajudar! Sigo para Cristo, com a alegria da certeza que é Ele quem me guia e ampara nesta hora... que me ilumina e instrui. Não há certamente alegria maior, que esta certeza... que ELE está junto de mim, em todo o momento e hora!

Obrigada Padre Joãozinho, por me confirmar na fé!
   



quarta-feira, 9 de novembro de 2011

O "Mimo" de JESUS CRISTO ( II )


Por estes dias, tive a graça de poder ouvir este grande homem de Deus - Pe. Joãozinho SCJ!

"Deixai-vos conduzir pelo Espirito Santo" - Tema do encontro.

Tenho aqui partilhado, o muito que ás vezes sinto caminhar ás escuras... partilho ainda várias vezes, como me vou abandonando, através da oração, em JESUS CRISTO. Grande parte dos meus problemas têm sido resolvidos assim, pela acção do Espirito Santo. Algumas vezes já me questionaram: "como vais fazer?" -e outras tantas vezes... fechei os meus olhos, deixando cair as lágrimas livremente... com o coração dizia apenas a JESUS: "só Tu sabes o quê e como..."

Sim. Estive em Fátima a ouvir o Pe. Joãozinho. Este homem de Deus está impregnado da Ternura de Deus, do Amor de Deus... diz-se que a boca só fala do que o coração está cheio... e este filho muito amado de DEUS, tem o coração repleto D'Ele!

Não senti o fogo do Espirito Santo, não me senti arrebatada em momento algum... estas palestras serviram para me confirmar na fé, no caminho... mais á base do: "É por aqui!"

Fui sózinha, pernoitei num "excelente quarto", um verdadeiro "luxo", acompanhada por JESUS á cabeceira e N. Senhora aos pés da cama... a janela, essa dava para um telhado... mas sim, o quarto era um luxo. É um luxo, ficar a sós com JESUS e MARIA!

A dada altura, o orador (Pe. Joãozinho) falava do caminhar do cristão, ora em cima, ora em baixo... e exemplificava dando passadas...

Percebi que no momento em que experimento a dor do "Horto", onde estou dolorosamente só... estou na realidade com JESUS na Sua agonia... a ausência dos amigos nessa hora, é sinal das suas fragilidades pessoais. Se magoa? Claro! JESUS, também repreendeu os seus - "não pudeste vigiar comigo?" - mas os amigos, são humanos... fragéis por assim dizer!

Percebi que devo respeitar essa fragilidade... se me é permitida a dor do "Horto", creio que também me será permitida a alegria da Ressurreição!



terça-feira, 8 de novembro de 2011

domingo, 6 de novembro de 2011

O "Mimo" de JESUS CRISTO!


JESUS, mima-me de uma maneira tal... que eu só consigo sentir-LHE a Saudade!
Assim que poder, venho aqui contar-vos!

A Paz de Jesus para cada um, que por aqui passe.

Eu amo JESUS!

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Amar JESUS...




...é caminhar quando a luz se apaga!
...é sentir segurança, quando o mundo te abandona!
...é recomeçar de novo... sem medo da derrota!
...é levantar a cada queda!
...é confiar... que para lá dos nevoeiros da vida, é JESUS quem nos guia! 

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Ela acredita na "energia do cosmos"...



... e eu, acredito em Deus!

Almoçamos muitas vezes juntas, e temos variadissimos diálogos. Muito antes de saber no que ela acreditava, já eu havia falado de JESUS, do quanto Ele ama cada um dos seus filhos... do quanto Ele tem feito em mim e na minha vida!

Estava comigo há uns meses, quando reflecti em alta voz no que N. Senhor me estava a preparar... e eu, despistada como sou... nem estava a "vêr"!

-"O universo está a retribuir-lhe, o que vc lhe tem dado." - Disse-me ela. Sorri-lhe num tom, em que me entendeu na perfeição... dizendo depois: "Ok, vc não acredita no mesmo que eu..."

Disse-lhe apenas o que eu "via": "Isto tem a mão de Deus..." 

Desta vez... pediu-me conselhos. Foi mãe há pouco, e tudo muda... as rotinas domésticas, laborais e conjugais até... o cansaço que sente, as muitas tarefas que quer dividir com o marido e as muitas a que ele se recusa a fazer, ou faz mal!

Não me senti nenhuma "mestrina", vasculhei no meu viver o que de bom consegui dizer, fazer... recordei as muitas frustrações que senti, num cansaço tão extremo... vivido no silêncio e sem auxilio significativo. O buraco de tristeza onde cai... num silêncio incompreendido. Disse-lhe que devia agradecer ao marido, os mais pequenos gestos de ajuda... mesmo mal feitos, ou feitos de má vontade... é o caminho... não sei outro, ou melhor... entrar pelo caminho da discórdia, é damasiado perigoso. Sou uma mulher prudente e usualmente, não opto por terrenos "minados", pode dar-se o caso de rebentar mesmo debaixo dos meus pés!

Á pergunta "Porque eles são tão egoistas?", respondi-lhe: "Por algum motivo, é que somos nós as mães... e ainda bem, eu não trocava!"