quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

O ano vai mudar...


... e eu também!

Vou ali e já volto! Até já!


Um Bom Ano, para todos os que aqui passarem!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Nada mais tenho...













... que lhe possa dar!

Dar-lhe-ei um pequeno Terço em madeira e um Devocionário da Divina Misericórdia! Só conheço este caminho...
 

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Sonhos?!


(Sonhos de Abóbora)

Sempre me interessei pelas lides domésticas, e principalmente na cozinha. Era uma miúda... gostava de ajudar a bater as massas, a estende-las, a rechear, etc...

Na casa onde cresci, no Natal fazia-se todo o tipo de fritos de Natal (Filhós; Sonhos; Bacalhau frito; Polvo frito; Ovos verdes, etc...), os meus olhos (não só os olhos) seguiam todos os passos, e o meu indicador... melhor dizendo, o meu "fura-bolos" também seguia todos os passos. Aprendi assim, a saborear o prazer de fazer estas pequenas delicias...

Este ano, decidi-me a fazer os Sonhos de Abóbora. Houve vozes que se ergueram contra, porque se gasta mais, porque dá trabalho, porque sei lá mais o quê. Fiz na mesma! Sou de ideias fixas, já se viu!

Fiz com a ideia de partilhar. No inicio nunca sei com quem, mas há sempre uma luz que me ilumina, com quem devo partilhar. Coloquei mais abóbora, mais farinha, etc... fiz mais.

Uma grande travessa repleta de sonhos, num dourado salpicado de açucar com canela... era de encher o olho. Retirei uma boa parte desses sonhos, com carinho e alegria preparei o que haveria de partilhar, com os que menos têm!

Não descobri ainda o que mais gosto, se fazer ou partilhar...

Um dia descubro!




segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Nem sempre sei...


... como N. Senhor, me confia certas "coisas"!

Tenho andado para aqui, com o meu interior às voltas... vai que dou 1 passo para a frente, vai que dou 2 passos para trás... entre as humilhações, o mau julgamento e desprezo de terceiros, vou dando luta a isto, que normalmente chamamos de dia-à-dia!

Hoje N. Senhor, trouxe-me uma mãe de coração atribulado e triste...  almoçámos juntas e sózinhas (acho que pouca gente trabalha no dia a seguir ao Natal), conversámos de muito... partilhámos alegrias e alguns episódios menos alegres...

O coração sábio de uma mãe, consegue antever muito. Não porque tenha algum poder paranormal, mas porque é experiente, atento, cauteloso e acima de tudo ama incondicionalmente. O coração desta mãe, antevê um matrimónio destruido... entre lágrimas e soluços, contava-me o quanto sofreu no inicio do seu casamento, o quanto aguentou e que na verdade, valeu a pena...

Tratando-me pelo diminutivo, adiantava que era mesmo isso que aconselhava a quem lhe "aperta" assim o coração... "os meus netinhos, que é o melhor que eu tenho...".

Eu, que tenho andado só Deus sabe como... incentivei-a a ofertar a N. Senhor, as suas lágrimas, por eles. Ouvi-a com caridade; ocorreu-me ensiná-la a ofertar a sua dor, a sua falta de vontade em fazer (seja lá o que for, não tem vontade de nada.), as suas lágrimas... enfim, tudo! Já nada mais me ocorria e disse-lhe: "rezarei por eles". Chorou mais... abri os meus braços e abracei-a... acredito na "terapia" do abraço. Não tem grande sabedoria, esta terapia... consiste apenas em:

- Abrir os braços e acolher com caridade, quem sofre!
- Apertar com força, inspirando confiança a quem sofre!
- Rezar! 

Prometi-lhe que rezaria, por esta sua intenção... apertei-a nos meus braços e dei-lhe um beijinho no rosto... proferindo novamente o meu diminutivo disse: "...gosto tanto de si!" - A quem fez melhor, aquele abraço? A ela, ou a mim?


Eu disse...



... que não enviaria mensagens de Natal, por e-mail, sms, etc...

Na verdade; ao fim de alguns anos "descobri" que o meu telefone e correio electrónico, também recebem (chamadas, mensagens...). Já à noite, na noite de Natal... recuei e enviei algumas mensagens... jamais aprenderei! Sou mesmo "burra" !!!!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Menino Jesus!


Menino Jesus, que vieste ao mundo de forma humilde e pobre... deitado numa manjedoura, num estábulo... sem luxos, nem festas exageradas... nasce Menino Jesus, também no meu frio e pobre coração. Vem Menino Jesus, aquece esta "pobre manjedoura"... 





quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Aconteceu...


... assim;

A manhã intensa, mas tranquila... com um presente antecipado. Alegria!

À hora do almoço... como já era de prever... um sentimento de contrariedade, agonia até...
Coloquei o meu melhor sorriso,  permaneci com a minha postura de sempre... o resto, decididamente, não é meu. Incomoda-me e fere-me... martiriza-me até... mas não é meu! Não fiz... não sou... aquilo que mentes perversas dizem!

Durante todo o tempo que ali permaneci, fui ignorada pelos "primeiros"... eu havia-me sentado lá ao fundo... fiz companhia aos "ultimos", conversei com eles, ouvi-os... mas percebi o desprezo dos "primeiros".

Não é novidade nenhuma para mim, o desprezo, acho que o tenho vivido desde muito nova. Mas ainda assim, não me habituo... não quero a amizade de pessoas que me julgam mal, mas apenas o respeito. O que é muito, mas muito diferente!

Podia ter sido pior... mas não foi... já passou! Agora preparo-me para receber quem é mesmo importante para mim... JESUS!

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Nada mais...



... vejo, que possa fazer.


Amanhã será um dia intenso... pela manhã receberei um presente adiantado. Ao almoço... seja o que Deus quiser.

Recuso-me a entrar no desespero... a deixar-me vencer, seja de que maneira for. Que o meu rosto oculte esta minha luta...

A cada celebração Eucaristica, o padre após a benção final diz: "Glorificai a Deus com as vossas vidas." - Pois, que assim seja!

Sou rosto de Cristo?



Combinámos um almoço para confraternizar. Durante todo o ano, almoçamos quase todos os dias no mesmo sitio, um dia por outro lá falta uma... mas vamo-nos vendo com frequência. A nossa condição de vida, assim o permite. Gente humilde e de trabalho, honesta e de boa vontade. Gosto destes bocadinhos!

As conversas do dia-a-dia revelam-nos a "pessoa" de cada um. Aos que chegam zangados, desiludidos e tantas vezes com problemas graves... os restantes dão alento, aconselham...

Não sou de me expor com facilidade, mas a cada opinião que dou... certamente que me revelo! Falo muitas vezes, deste meu JESUS que me ama, falo a vários, que só muito raramente ouvem falar D'Ele com verdade e verdadeiro amor. No fundo, testemunho-O e testemunho a Sua Vitória na minha vida...

Hoje e em jeito de brincadeira respondi: "desta vez perdoo-o, para a próxima..." - risota. Uma voz pára aquela risota  dizendo: "a quem e o que é que tu não perdoas? Com esse coração de manteiga..." - sorri-lhe de forma cúmplice e fez-se alguns segundos de silêncio.

Nunca partilhei ali, a agonia que estou a viver, a sentir... nem o que me espera no dia de amanhã... onde só eu sei, o que verdadeiramente sinto. Não devo dizer que não vou... não, porque não possa dizê-lo... mas antes, porque não devo. 

Rezo e espero em Cristo! Ainda acredito que N. Senhor me livrará "disto". Contudo; se por vontade de Deus tudo se cumprir, como está agora estabelecido... quero que N. Senhor me dê a força e coragem, para que possa dizer como a pequenina Jacinta - a pastorinha de Fátima - "Que bom, posso oferecer este sacrificio por JESUS."

Nas Tuas mãos, Senhor, entrego o meu espirito, o meu corpo, a minha vida, o meu entendimento! Seja feita a Tua vontade, Senhor!

O Bom Pastor...



... é Jesus!

Acredito nesta verdade de fé, acredito no poder de Jesus... mas no mais intimo do meu coração, oiço as palavras do Padre: "Siga como Jesus, como ovelha levada ao matadouro... de coração manso..."

Meditando nesta frase, medito na Dolorosa Paixão de JESUS... e hoje, na oração Pós-Comunhão ofereci... ofereci tudo a JESUS!

As lágrimas assumaram-se á luz do dia... aliás, estranho seria se assim não fosse. Sinto-me a caminhar para um cadafalso... esclareço, que não tenho a vida em jogo... mas ferem-me de "morte" na alma!

sábado, 17 de dezembro de 2011

O Martirio!



Finalmente encontrei o Sr. Padre.

Fiz a minha confissão mensal e como penitência foi-me pedido: "renove a sua consagração a N. Senhora." - Como que se adivinhasse o meu desejo de fazer a Total Consagração a N. Senhora...

No fim... expus-lhe a minha "agonia"... pedi-lhe aconselhamento...


Lembrou-me o Sr. Padre; de como Jesus foi acusado injustamente, das tantas perguntas que lhe faziam para O apanharem em falso, ao que Ele respondia com perguntas... de como Ele se manteve em silêncio diante de Pilatos. Aconselhou-me a imitá-LO... a oferecer a minha agonia, pelas minhas intenções, por amor a JESUS!


Olhou para mim e para o Cristo Crucificado ali mesmo ao meu lado, e falou-me no martirio... "não sei qual martirio custa mais, se aquele que mata de uma só vez, ou se aquele que nos mata aos poucos... lentamente..." - "Não é fácil viver isso... e por muito que se sinta a morrer lentamente, ofereça... ofereça... mais vale perecer ás mãos dos homens. Mantenha um coração de "ovelha", porque Jesus só é pastor de ovelhas... jamais de lobos... não se esqueça da prudência!"

A Santa Missa ia começar e deixei algumas questões para outra altura...não havia tempo!

No fim da Homilia, o Padre falou sobre o Tratado da Verdadeira Devoção a N. Senhora, segundo o método de S. Luís de Monfort e o meu coração alegrou-se finalmente... pois é isto mesmo que eu quero fazer...

Será que encontrei finalmente o meu director espiritual?

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Quero dizer "NÃO"!

Um não redondo, sentido e desejado! Depois de ter sido alvo de maus julgamentos à minha pessoa, à minha conduta... não quero estar onde esta "gente" está, onde se reune... muito menos ao redor de uma mesa durante uma refeição! É local sagrado a mesa de refeição, a própria refeição, tem para mim esse simbolismo... prefiro comer só, a  sentir-me incomodada!


Não me questionaram... senti-me antes intimada a estar presente, com data e hora préviamente marcada. Não quero! É esta a minha vontade, é este o meu desejo... não respondi, por respeito...  precisamente o que não tiveram por mim.

Oh, Deus... vale-me nesta hora! 1 Semana é o que me falta... abandono-me agora à providência Divina! É angústia o que sinto...

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Providêcia Divina! (Parte III)



Tenho meditado, nesta minha grande dificuldade em encontrar um confessor certo e director espiritual!

Olho a assembleia da Igreja e vejo aquele mundo de gente... será que todos eles, têm um confessor certo e director espiritual? Creio que não... muito provavelmente, nem toda a assembleia se confessará uma vez por mês, nem tão pouco pedirá o conselho do padre para a tomada de decisões dificeis, na medida do Santo Evangelho. Sim, que no viver em Cristo, deve haver coerência!

Em quase toda a minha vida, tomei decisões pela minha cabeça... p'ró bem e p'ró mal... assumi sempre todos os meus actos. Hoje, sabendo e sentindo que Deus me ama, quero "fazer bem" as coisas... em nada quero desagradar o "Pai"!

Olho-me por dentro, e vejo que em nada sou mais do que a restante assembleia... porque quero eu então um confessor certo e um director espiritual?

1 - Por aconselhamento num determinado retiro.
2 - Por meditação na vida dos Santos: Pe. Pio e Cura D'Ars.

Não é frescura, nem capricho meu...

Ofereço tudo isto que tenho vindo a passar, pela Santificação dos Sacerdotes, para que sejam aquilo que Deus Pai, espera deles.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Providência Divina! (Parte II)



Onde procurar o padre?
Na Igreja, claro!


Hoje fiquei de tentar, encontrar um novo director espiritual e confessor certo! Antes de sair de casa, rezei pelo assunto... cheguei á igreja e o senhor padre não estava. Esperei bem pertinho de Jesus, rezei... esperei e fiz companhia a JESUS! O meu limite de espera, era uma hora... ultrapassado esse limite, resignei-me á minha condição... vim-me embora!

A quem, um dia recusou orientar-me e ouvir-me em confissão (sabe-se lá por qual capricho)... gostava que podesse ver esta minha luta!  


Sei que não devo desistir... senti-o de forma muito forte, no dia de ontem! Mas... valha-me Deus, N. Senhor Jesus Cristo... faltam-me as forças... estou farta de levar com a porta na cara!


Olha Senhor... que me falta fazer?

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Providência Divina! (Parte I )

O nome deste blog - "Filha de Maria" - nasceu de algo muito forte, que fui sentindo no meu coração. Na verdade; todos somos filhos de Maria, logo esta palavra que gritava no meu peito, haveria de ser algo mais... e é certamente! É isso mesmo que eu busco!

No meio da "noite escura", ou "deserto" deste meu caminhar... a única "voz" que eu ouvia era: "Filha de Maria."

Rezei, esperei... reflecti e nasceu este singelo blog, do qual nada espero, a não ser partilhar o que vou vivenciando nesta minha peregrinação...

Há alguns anos atrás, participei numa vigilia de oração onde estive no serviço do coro! A intenção, era por quem haveria de ser ordenado sacerdote! Um dos canticos, preencheu-me o coração: N. Senhora do Sim! Saí da vigilia... e só queria cantar este cantico... não sei explicar, mas só de pensar na letra, o meu coração parecia transbordar.  





Tenho guardado muito no meu coração... silencío, rezo e caminho.

Hoje, solenidade da Imaculada Conceição, tinha tudo programado... a Missa, o dia... enfim...
Aconteceram imprevistos e eu improvisei também...

Há muito que desejo fazer a Total Consagração a N. Senhora, queria tê-la feito no dia de hoje, este ano e de forma oficial... faltou-me tudo! Faltou-me a tranquilidade, o director espiritual, o confessor certo... só não me faltou o desejo de o fazer!

Improvisando em dia de imprevistos... vi-me na Paróquia, que um dia também foi a minha... onde tanto me fizeram sofrer, e por isso não gosto de avançar para os bancos da frente. Mas realmente foi dia de imprevistos... e vi-me puxada pela mão de uma criança precisamente para a frente, não havia como contornar isto e deixei-me "guiar"...

Chegámos cedo e comecei a oração do Terço... fiquei-me  pela 1ª dezena. Acho que nada mudou por ali... em dia de Solenidade, entram em procissão... tomei o propósito fazer a minha consagração a N. Senhora, ali... assim... de "improviso", naquela missa e sem a oração própria (lá há-de ter o seu valor, pensei), sabia que a oração deveria ser feita após a Sagrada Comunhão e quando me dirigia para receber N. Senhor, meditava nisso mesmo... no preciso momento, em que recebo N. Senhor... o coro inrrompe a cantar "N. Senhora do Sim...", comovi-me e senti-me confirmada... não tenho palavras para descrever o que senti...

Mais do que nunca, sei que devo fazer esta Consagração oficialmente e amanhã farei nova tentativa para encontrar um director espiritual e um confessor certo!

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Não me apetece... (Parte II)


o  Natal frio que vejo!

Cheguei cedo, mesmo muito... contrariada e desanimada. Diz o ditado popular, que quem diz a verdade, não merece castigo... mas nestes tempos de crise, chega a ser pecado ir contrariada para o trabalho. Mas é isto que eu sinto!

A ganância do dinheiro, de quem já muito tem... o olhar invejoso sobre quem veste uma "camisa lavada", a impiedade sobre os que nada têm, ou têm pouco... dói-me... magoa-me! A soberba!

Há muito que fui rotulada daquilo que não sou, nem nunca fui... e no meu perfeito juízo, nunca o serei. A fase da revolta e incredulidade já passaram, vivo agora a fase do isolamento... nunca estou verdadeiramente só, porque N. Senhor está junto de mim... mas isolei-me e assim pretendo continuar!

Jamais pensei chegar a "esta" idade e sentir-me assim! A minha família, é o meu oásis e JESUS, o meu refugio. É assim que tenho vivido os últimos 8 meses... nada mais tenho e não escondo "cartas na manga".

Hoje, ganhei tempo extra e fui buscar a "caixa do Natal"... desfeita pela humidade e alguns artigos danificados... ironia das ironias... quase que poderia descrever que daquela caixa tirava o que realmente vejo neste Natal frio, sem cor, nem vida... frio por dentro na sua verdadeira essência, sem cor e sem vida... porque na sua maioria, as pessoas não celebram o nascimento do Deus Menino.

Deitei fora o que estava impróprio... também gostaria de deitar fora o que realmente anda por aí a mascarar o Natal!

Pendurei a bota... (não sei para que serve)
Pendurei o sino luminoso... que não se pode ligar, para poupar! (Oh Deus!)
Pendurei o idoso de barbas brancas... coitado sempre pendurado na mesma posição (há-de estar cansado). Deixei-o ficar... é idoso e o Natal é para todos. Vinde, vinde todos adorar o Deus Menino!

No fim daquela velha caixa... desfeita... algo brilhante... uma pequena "gruta" de barro, pintada de amarelo e dourado, lá dentro... o Deus Menino deitado... dois anjos a adorá-lo e no topo uma pequena vela que nunca foi acesa... não é a Sagrada Família, mas é o Deus Menino! Comprei isto há tanto tempo... comprei e ofereci, deixando-o ficar para o próximo Natal. 



Não tem N. Senhora, nem S. José... mas tem o Menino Deus e os anjos...

Perguntei se O queriam colocar na linha da frente, a resposta surpreendeu-me... põe-no aqui! Foi precisamente para o lugar, onde não quiseram o meu pequeno Presépio... onde não havia lugar...

Não tenho grandes ilusões... talvez o queiram apenas pelo brilho... mas na verdade, todos os que ali passarem, irão olha-LO!

Misturei-me com os demais consumidores... e as compras que fiz, foram com grande esforço e sem vontade alguma!

Tenho dúvidas! Dúvidas sobre o que penso, o que vejo e sinto! Não sei quem está mais longe... se sou eu... ou os outros!

Talvez esteja apenas a viver uma crise... existencial! Sei lá... o que se passa comigo! Este ano não escrevo mensagens de boas festas, nem em cartões, sms ou email's... em massa! Estou cansada de o fazer a quem nunca responde ou sequer tem o bom tom de agradecer somente, ou que só o faz, porque apenas fica bem!

Este ano vou dizer ao Deus Menino: "Estou aqui! Esta que vês de mãos vazias, sou eu... cada um levou o pouco que eu tinha... resto apenas eu!"

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Não me apetece!


Comprar prenda alguma!


Desejo juntar a familia, em paz e harmonia para celebrar o nascimento do Deus Menino...
Não sei o que vejo... nem tão pouco o que sinto... uma confusão de luzes, cores e brilhos artificiais! Antigamente gostava disto... hoje apenas sinto o frio, o frio de tanta cor e luzes a metro... talvez esteja a ficar miupe e veja mal... mas ainda assim, sinto o frio... e estou bem agasalhada, com a Graça de Deus!

Tenho no meu local de trabalho um pequeno presépio, quando digo pequeno, é em relação ao seu tamanho. Perguntei se o queriam colocar "na linha da frente", onde todos O vissem, onde todos podessem relembrar o porquê do Natal. A resposta foi: "Não tenho espaço!"

Assim como há mais de 2.000 anos, também hoje "não há lugar na estalagem". Naquela frase; "não tenho espaço", vi um coração frio e pobre... e cheio de tralha, um verdadeiro ferro-velho onde cheira a mofo...

Sinto-me triste! Queria ver o Deus Menino, num berço todo bonito, feito da madeira mais rica... com uns lençóis todos bordados á mão, e a colcha... da lã mais pura! Tudo isso O haveria de aquecer...

O Deus Menino, nasceu no mais pobre e humilde ambiente... e porquê? Em que berço vou deitar "eu", "tu"... o Deus Menino?