terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Amizade... (Parte III)




De algum tempo a esta parte, passei por um periodo de cansaço, desilusão e... incredulidade, face á humanidade. Quis baixar os braços, desejei mesmo fazê-lo... foi um tempo longo. Quão longo? Não posso precisar, mas parecia-me atravessar um imenso deserto... fiz paragens e quis arrepiar caminho... mas avancei em passadas minusculas e não raras foram as vezes que disse a JESUS: "Quero ser, mais e mais de Ti!"

No ultimo Sábado - Sábado da Alegria, 3º do Advento - quis confessar-me antes da Eucaristia, mas a vida não é como eu quero e só pude fazê-lo após a mesma. Reconheço que não estava muito tranquila, queria entregar esta minha falha a JESUS... tinha o coração apertadinho e triste, por ter desejado desistir de caminhar para a santidade.

Tudo o que JESUS faz, faz bem!

Durante a Eucaristia, N. Senhor fazia-me sentir neste meu coração apertadinho e triste, que quando eu queria desistir e andar para trás, era precisamente quando dizia a JESUS: "Quero ser, mais e mais de Ti!" Foi então que me enchi de uma alegria imensa, e com esta grande alegria acabei por confessar-me com um grande sorriso no rosto e coração!




terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Amizade... (Parte II)



"A diferença entre o amor e a amizade

... na amizade há segurança sem que exista pressão. O que não podemos conhecer do outro deixamos serenamente que permaneça incognoscível. (...) Na amizade aceitamos de forma mais natural a diferença, uma certa distância que não vem considerada como obstáculo à confiança, mas, pelo contrário, é condição  de revelação de si. Essa distância dá liberdade à pessoa para ser autêntica..."

José Tolentino Mendonça



Gosto deste trecho, especialmente quando falamos de "supostas" amizades.  Há de verdade uma distância necessária na amizade, a distância que me reserva o direito ao silêncio, ou à partilha, conforme o caso, mas o que não cabe aqui nunca... é a indiferença disfarçada de outras coisas!


------------------ 

Tenho andado mesmo muito ocupada, e por isso afastada daqui e das minhas leituras. Volto assim que poder.  

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Amizade... (Parte I)



... creio que será a maneira mais real de amar, e também a mais incompreensível, aos olhos de quem passa pela vida, sem vivê-la.


"Ao lado do teu amigo, nenhum caminho será longo." - Provérbio Japonês

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Hoje comprei...


... um presente, para mim! Direi mais qualquer coisa, rapidamente...


domingo, 4 de novembro de 2012

O Padre que me casou, casou...


ou há-de casar, assim que tiver autorização, para tal.

Sai da reunião de pais, em ameno diálogo sobre fé e razões de fé, com outras mães que têm vindo a crescer na fé. Descobrimos, que quem nos tinha casado, era o mesmo Sacerdote e ela adiantou..."sabe, ele já não é padre, juntou-se com uma moça."

Confesso que fui apanhada de surpresa, e regressei a casa a pensar neste caso... um homem coerente, capaz de mover massas, já não é padre... e nesta viagem de pensamentos, ficou-me cá dentro:  - Homem, coerente!

Na realidade, sim é um homem coerente, assumiu o que sentia e vive na verdade. Há muito que não o vejo, mas gostava apenas de lhe dizer: Parabéns e seja muito feliz! E ainda assim, seja santo na vocação matrimonial.


----------
Adenda (06/11/12)

Temos que rezar mais, por santas vocações Sacerdotais!

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

"Já que estamos sós...



... deixe-me desabafar consigo... senão rebento!"


Confesso que entre nós, há uma cumplicidade sincera, mas não somos amigas de andar na casa uma da outra, ou de fazermos programas juntas. Por força das circunstancias almoçamos muitas vezes juntas e por vezes, estamos apenas as duas!

Falou-me do marido, das muitas tarefas a seu cargo, do excesso de cansaço que sente, desde que foi mãe... e do muito que o marido descansa no sofá. Falou-me ainda das muitas discussões e que agora não falava com o marido...

Basicamente, ouvi-a... que haveria eu de lhe dizer? Enquanto desfiava as suas frustrações, desilusões no que diz respeito ao matrimónio... eu viajava dentro de mim, revendo o que já passei e ultrapassei... 

Quando finalmente se calou, para ouvir a minha opinião, como quem espera ouvir a resposta milagrosa... adiantei-lhe que muitas vezes também eu tive vontade de desistir  de baixar os braços... acaso serei eu uma máquina, ou uma super funcionária? Não. Aprendi a fechar os olhos ao que não está perfeito e aprendi a obrigar-me a parar, mesmo quando tudo ainda não está concluído!

Não sou exemplo para ninguém! Mas na realidade, aprendi a reconhecer os meus limites e a verbalizá-los quando me apontam o dedo. Aprendi... que por vezes é melhor ficar calada, do que entrar numa batalha, de onde já sei que saio derrotada... aprendi que me devo respeitar a mim mesma, respeitando os alarmes físicos do meu corpo... aprendi que o sofá, é um oásis... lol. 


Sai dali, com a sensação que não a tinha ajudado muito... e foi então que lhe enviei um video que recebi há algum tempo, que me fez muito bem (lamentavelmente já não me recordo, quem mo enviou), e que partilho aqui... é delicioso! Comprovem!



     

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Felizes sereis... (Mt5, 1-12)

"Felizes sereis, quando vos insultarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o género de calúnias contra vós, por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque grande será a vossa recompensa no céu..."



Tenho andado "apagada", pensativa... introspectiva e o "Ano da Fé", fez-me pensar ainda mais...

Pensar nos Cristãos Perseguidos; da China e de tantos outros países que vamos tendo conhecimento. E nós? Não seremos nós tantas vezes perseguidos pela nossa fé?

Vivemos num pais democrático, onde há supostamente liberdade religiosa... mas seremos nós verdadeiramente livres?

O Ano da Fé, abriu-me esta questão... não quero de forma nenhuma desvalorizar o Sacrifício que os nossos irmãos na fé passam, antes... ocorreu-me oferecer os meus sofrimentos, por eles!

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Já falei com o meu Pároco...



... e em espirito de obediência, contei-lhe tudo!
Contei-lhe os meus sofrimentos de há mais de um ano, a esta parte. Expliquei-lhe que ao me afastar da minha Paróquia e da Paróquia onde recebia orientação espiritual, não me afastei de Deus... mas que experimentei diversas "dificuldades". Ficou agora a perceber o meu afastamento - a minha grande necessidade de silêncio - abreviei tudo, o mais que pude... e nisso não faltei à obediência!

Não era meu objectivo expor ninguém, nem os erros alheios... mas antes pedir e receber ajuda!

Começo agora uma nova etapa:

1º Oração de libertação, por quem me tem feito chorar.
2º Exercicios espirituais - para a Total Consagração a N. Senhora.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

A nossa vitória está em JESUS!



Há algum tempo, escrevi aqui e aqui, sobre como havia sentido no meu coração, a forma de ajudar quem na altura só sentia angústia, por um futuro incerto.

Hoje e carregando a minha cruz, abordei esta questão... perguntei-lhe directamente, se o filho já havia arranjado trabalho. De sorriso aberto, respondeu-me afirmativamente, e contando-me como aconteceu, dava Graças a Deus!

Comovi-me! Comovi-me, pela forma como N. Senhor ama todos os seus filhos, como a todos quer chegar... e que apesar de tudo, nos quer usar para chegar aos corações que não conhecem, ou conhecem mal a Deus!

Glória a Deus!


domingo, 2 de setembro de 2012

O Acordo!





Estive em Fátima, e prometi ao Padre falar com o meu Pároco assim que ele regressasse de férias e esta promessa inclui falar-lhe abertamente sobre tudo o que estou a viver.

Antigamente, a palavra das pessoas bastava para firmar um acordo... mas com o tempo, a palavra  de honra, veio a perder o seu verdadeiro significado, e passou-se aos acordos escritos, assinados e autenticados. Neste caso, dei apenas a minha palavra e espero cumpri-la.

No fim da Eucaristia, dirigi-me à Sacristia, não sem antes perguntar se o poderia fazer. Entrei e esperei pela minha vez, que era a 1ª... O Sr. Padre, pediu-me para aguardar e falou com todos os outros que foram chegando (não fiquei lá muito feliz), cumprimentos de circunstância, entre alegrias de uns e de outros... e eu, à espera ... decidida a cumprir a minha palavra, esperei!

Chegada a minha vez de tempo de antena, pedi marcação de um momento para falarmos dentro da "minha disponibilidade" - certo é que tem que se arranjar um momento que dê para as duas partes - nem pensar, de todo... não terei disponibilidade. Argumentei para uma semana depois... e não me deu resposta, tentou numa outra altura de muita confusão na Igreja, ao que lhe disse necessitar de algum tempo para esta conversa... creio que não me levou a sério e brincou com o facto de "necessitar de algum tempo".

Não lhe consegui sorrir, até porque não gostei da forma como fui atendida. Fica o meu forte desejo de cumprir o que prometi ao Padre, em Fátima!

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Um dia de Estio...



Esta foto não é minha... mas já ali estive, e sabe bem recordar.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Estive no Santuário de Fátima...

Rosa recebida após a Novena das Rosas.


... e fiz, como sempre faço. Comecei pelo Sacramento da Reconciliação, acendi uma vela pelas minhas intenções e falei com a Mãe! 

A penitência que me foi dada desta vez, foi falar com a Mãe... pedir-lhe um sinal... sei bem, que nestas coisas, não há passos de magia... não basta rezar, pedir... há que esperar... esperar o tempo de Deus. 

Já aqui partilhei, que "perdi" o meu confessor habitual. Perdi-o na altura pior... foi então que me calei, rezei e esperei... 

Não foi fácil, até porque vi tudo virado do avesso nessa altura... foram várias as vezes, que me senti tentada a falar com o meu Pároco, a contar-lhe tudo... a pedir-lhe ajuda... mas escolhi sempre falar com Sacerdotes que não me conheciam... a grande questão que me travava, era a possibilidade de eu estar a pecar ainda mais, ao contar tudo ao meu Pároco... de dizer-lhe no fundo, que na altura (muito antes de ser meu Pároco), em que me aconselhou este seu colega, eu ter dito que não sabia se de facto seria a escolha certa... argumentou e aceitei de forma obediente a sua indicação... afinal, eu estava certa!

Desta vez foi-me dada a ordem, de falar com o meu Pároco... de contar-lhe tudo... prometi fazê-lo assim que este regressasse de férias. Ainda assim, continuo a necessitar de um "sinal" da Mãe... e por isso fiz a Novena das Rosas a Sta. Teresinha do Menino Jesus, ontem foi o ultimo dia... e hoje recebi a rosa... sinal que os nossos pedidos são ouvidos. 

Louvado Sejas Meu Senhor e Meu Deus, pela Tua Bondade, pelo Teu Amor!

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

O "Peso" do Padre...




Hoje não era o meu Pároco a celebrar missa, está de férias. O Padre que o substituía, chegou em cima da hora, por isso começou mais tarde a Eucaristia. Não o conheço bem, mas lembro-me dele e hoje achei que havia algumas diferenças. 

A voz era trémula... e alguns dos gestos, pareciam-me involuntários - vulgarmente e/ou erradamente denominados de tiques - por momentos, olhei-o... e pareceu-me sentir-lhe um enorme peso... não sei como explicar... mas ocorreu-me a imagem do nosso saudoso Beato João Paulo II, já doente com Parkinson e que até ao ultimo momento não desistiu...

Só o tempo o dirá, se aquilo que senti é verdadeiro... acreditem... preferia que não, que fosse apenas uma má impressão minha... por momentos comovi-me e as lágrimas andaram por ali a bailar... cai que não cai e lembrei-me de oferecer a Sagrada Comunhão, por este Sacerdote, e fi-lo!

Já de regresso a casa, a pergunta que me desassossegou: "Mãe! O Padre tinha a voz estranha... - Trémula, disse-lhe eu - Sim, mãe... isso!"

Peço ao Pai, que lhe dê o que mais necessita! E só mesmo o Pai, o sabe verdadeiramente. 


sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Tenho um coração de Pedra... (Parte II)




... que é como quem diz, tenho um coração ferido demais... e a dada altura fechei-o!

Este singelo blog, não é um cantinho para desfiar amarguras da vida, nem um "muro de lamentações"... apenas tenho vindo a partilhar o meu ciclo de vida em Cristo. E viver em Cristo, não nos torna imunes, á dor, ao sofrimento, às humilhações... apenas e tão sómente nos fortalece e nos ensina a superar! Parece pouco, mas não é, acreditem!

Sofri, com as mulheres "santas" da igreja. Ainda há quem se julgue superior na igreja.
Sofri, com quem faz "carreirismo" na igreja. Ainda há, quem não entenda o que é o serviço na igreja.
Sofri e sofro com quem me chama "beata"...
Sofri e hei-de sofrer muito mais com todas estas e outras coisas... porque a fé não me dá imunidade, apenas me fortalece para superar e perdoar!

Tenho plena consciência, que fechei o meu coração a dada altura... levantei a cabeça sem sorrir e endureci também o meu rosto... nada de sorrisos, para que não tenham a confiaça necessária de se chegarem a mim e me magoarem... chama-se a isto, criar distância!

Esta sou eu, "Filha de Maria", que para o ser verdadeiramente tenho muito a aprender, a mudar... mas só o conseguirei fazer, com a força da Comunidade, em Igreja a bem dizer. Assim sendo, já se viu que em nada a Igreja tem culpa... apenas e tão sómente esta vivência em comunidade não é fácil... então, quem é que tem de mudar? 

Quem tem de mudar, sou eu! Sou eu, que por amor a Cristo não posso desistir de amar o próximo, de o perdoar gratuitamente... tenho de tomar diáriamente as "vitaminas" que me fortalecem...

Quão pequenina e frágil sou! Sou isto!   

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Tenho um coração de pedra...



... com algumas brechas!

Impôs-me as mãos e orou por mim em Línguas. Eu acabara de dizer a JESUS Sacramentado, que queria muito, que rezassem por mim... "sozinha não posso mais..." - não me havia inscrito, por isso a possibilidade de rezarem por mim, era nula! Mas eu queria tanto... e disse-o a JESUS!

As lágrimas caíam silenciosamente, grossas e serenas... cada uma das suas palavras, era bálsamo para a minha alma. 

"Vinde a Mim, todos vós que andais cansados, pois o Meu jugo é suave - foram estas as suas primeiras palavras -  O Senhor, quer ajudar-te a levar a tua cruz, Ele quer aliviar-te... pelas vezes que o Tens ajudado a levar a Sua Cruz, por tudo aquilo que LHE ofereces... o teu coração está como uma rocha, com algumas brechas, por onde a Graça do Senhor te alcança... esta dureza de tantas humilhações, de sofrimentos ao longo da tua vida... o Senhor, hoje te concede o dom da libertação..."  

Esta irmã, nada conhece a meu respeito... apenas se sentiu inspirada a orar por mim!

É hora de pedir a JESUS, por intercessão de Maria, que transforme o meu coração de pedra, num coração de carne! Reconheço que tenho muito a perdoar... se muito perdoei, muito mais tenho para o fazer... não é fácil, mas é possível com a Graça de Deus N. Senhor Jesus Cristo.

Ele ouve-nos sempre! E essa é uma dúvida, que há muito não tenho!

sexta-feira, 20 de julho de 2012

"Mãe... puseste-a a chorar..." - Parte II



Quem me conhece, sabe que sou católica. Assumo-me como tal e dou o meu testemunho, a quem o queira ouvir de coração.

Meditei em todo o dia, na Palavra que havia brotado no meu coração e procurava adequá-la a este caso...

1- Esta pessoa sabe que sou católica e que rezo por ela!

2- O problema desta pessoa não era físico, mas económico!

3- Tal e qual como na Palavra, também eu não tenho "nem ouro, nem prata", nem euros...

4- Como aplicar então esta palavra?

Na minha mesa de cabeceira, permanecem os meus terços, a minha Bíblia, um livro de orações e o Devocionário à Divina Misericórdia - este pequeno livrinho tem a capa gasta e desbotada... as suas páginas amareladas pelo meu polegar, que o segura enquanto rezo o Terço da Divina Misericórdia. 

Um pequeno livrinho, ainda novo e muito branquinho... fez-se ali notar e de um rompante, a mesma palavra no meu coração - "ouro e prata não tenho...". Em segundos relembrei, todas as minhas batalhas ganhas através da oração deste Terço... os impossíveis que se tornaram possíveis...  e sorri... sorri eu e o meu coração... que percebi que o desgaste do meu pequeno livrinho, se deve ao muito uso, à força de tanto o rezar... "ouro e prata não tenho, mas o que tenho te dou...", e o que eu tenho é este testemunho de vida... nos nevoeiros da vida, fecho os meus olhos... rezo e espero em Deus! Dom da Fé, é esse o verdadeiro nome... e é Dom, porque não é meu... é bênção de Deus derramada na minha vida! 

Peguei naquele livrinho ainda novo (sempre que vou a Fátima, compro uns quantos para oferecer, e nunca sei a quem vou da-los). Pois se é bom para mim, será também para os outros... é este o principio que me move, diz-se que deve ser o Padre a divulgar este devocionário... mas o Padre não chega onde ninguém o procura...  

Coloquei na minha mala o livrinho e um dos meus terços... dir-lhe-ei que o reze... como o farei, se nem à Missa vai? Não interessa, isso vejo depois... 

Dois dias depois, encontrá-mo-nos... havia mais gente... e o momento ideal surgiu, assim... aparentemente do nada, dei-lhe então o que tinha - o que tenho, JESUS! - E caiu-me num choro... apertei-lhe a mão e encorajei-a e sai, porque estava mesmo na minha hora... 

Num silêncio gritante, já a caminho do meu destino: "Mãe... puseste-a a chorar..." - Eu sei, mas foi de alegria, reparas-te? - Também eu chorei, quando me deram este livrinho... e chorei de alegria, de esperança... e recordei esse dia, como se tivesse sido ontem...

Louvado sejas meu Senhor e meu Deus!

quinta-feira, 19 de julho de 2012

"Mãe... puseste-a a chorar..." - Parte I

Haviamos falado no dia anterior, contou-me que o filho iria casar em 2ª nupcias... quer vê-lo feliz, alegre... mas ficou desempregado! Vai correr tudo bem - disse-lhe em tom encorajador.

Naquela manhã, estava desanimada... vencida pelas muitas dificuldades que lhe têm aparecido. Dizia para quem aparecia para uma dose de cafeina matinal: "ou há-de ser a saude; ou despesas extras; ou alguém de familia próxima... eu tenho é que ir ao padre, para me abençoar... e que me abençoe a casa..."

Acenei-lhe afirmativamente.... pedir a benção ao Padre, é sempre uma fonte de Graça, nem que seja pela fé mais fraca... mais simples, mas reconhecer no Padre esta "grandeza" que o Pai Celeste lhe confiou, tenho cá para mim, que é sempre uma fonte de Graça.

Sai dali pensativa... e nas minhas orações coloquei esta intenção. Senti no meu coração a palavra:

Act 3, 6

3Ao ver Pedro e João entrarem no templo, pediu-lhes esmola. 4Pedro, juntamente com João, olhando-o fixamente, disse-lhe: «Olha para nós.» 5O coxo tinha os olhos nos dois, esperando receber alguma coisa deles. 6Mas Pedro disse-lhe: «Não tenho ouro nem prata, mas o que tenho, isto te dou: Em nome de Jesus Cristo Nazareno, levanta-te e anda!» 7E, segurando-o pela mão direita, ergueu-o.


Mas como aplicar esta palavra a este caso?

                                                                                                              Continua

quinta-feira, 12 de julho de 2012

"Será uma boa enfermeira!" Parte II



Comecei por dizer, que tinha algo para lhe dizer, mas que não tinha a certeza se lho deveria dizer... e a missionária colocou-se em escuta.

Contei-lhe então, que havia sentido a frase: "Será uma boa enfermeira!" - Sorriu-me e disse: eu sou licenciada em enfermagem.

Adiantei-lhe que já o sabia, mas que também sabia que era consagrada... e esperei ouvi-la, um pouco mais... informou-me que havia pedido para dar alguns anos da sua vida á comunidade, como missionária... e isso também eu já sabia... foi quando a sorrir me adiantou que já havia sentido no seu coração, que a sua vocação, era no mundo!

Surpreendida sorri-lhe... e adiantei-lhe que "boa enfermeira", significava ser como Maria, ser reflexo do amor da Mãe de Jesus... cuidar como Ela... gerar no doente, segurança e transmitir-lhe carinho, esperança... olhou-me com os olhos marejados e pediu-me um abraço!

Glória a Deus!



quarta-feira, 11 de julho de 2012

"Será uma boa enfermeira!" - Parte I



Como é sabido, são várias as novas comunidades, que têm surgido na Igreja Católica. Regra geral, estas comunidades têm mais que uma forma de vida - Comunidade vida e comunidade aliança.

Era a 3ª vez que rezava com esta comunidade, e no momento em que rezámos pela consagrada (invocando o E. S. sobre ela), para depois nos dar formação... no meu coração senti a palavra: "Será uma boa enfermeira!"

O tema da formação, era N. Senhora no Carisma desta comunidade. Ouvi, maravilhada todo aquele testemunho/ formação... e no meu coração lutavam as palavras sentidas e tudo aquilo que eu via diante de mim.... como direi a uma consagrada missionária, que está longe da sua casa, familia etc... que ela "Será uma boa enfermeira!"

No fim, esta irmã missionária tinha para partilhar comigo, algo que eu lhe havia pedido para rezar... sentámos e ouvi-a atentamente... no fim, disse-lhe que tinha algo para dizer-lhe. 


                                                                                                       (continua) 



quarta-feira, 27 de junho de 2012

E o que fizes-te tu?


Fiz, uma festa!

Não gosto que me magoem, que me humilhem... mas aprendi a pagar o mal com o bem. Se custa? Claro que sim, sou humana... de carne e osso e além disso, tenho sentimentos... feridos, a bem dizer!

Mas a decisão, essa foi minha... foi e será sempre minha, a decisão de me vingar ou de superar...
Afinal a Homilia do meu Bispo, havia sido nesse sentido... a Santidade que se busca a cada dia, sem medo das ofensas, das humilhações... das perseguições ou até mesmo que nos roubem a vida, porque jamais nos roubarão Jesus, do coração!


terça-feira, 26 de junho de 2012

Não me sinto dona da Razão...


... da boa consciência, mas procuro sempre agir antes pela razão, do que pela emoção!

Sou assim, desde que me lembro de existir... antes de uma escolha: ouvir, observar... sentir e só depois agir!

Nem sempre o consigo fazer na perfeição, mas tento, a sério que tento, a cada dia e um após outro dia...
Quando descubro que a não tenho (razão), procuro emendar-me, peço desculpa... rectifico, se preciso for!

Houve momentos na minha vida, que senti arrependimento de não me deixar guiar pela emoção... mas olhando para trás, isso poupou-me a dissabores e por isso mesmo, continuo no mesmo trilho.

Aprendi que numa discussão, são precisas pelo menos duas vozes... e quando assim é, calo a minha voz e isso em vez de acalmar, parece enfurecer ainda mais... a sério, ás vezes pareço caminhar ás cegas! Gostava de me deixar ir pela emoção... mas nunca assim fui...

Santa Mónica, rogai por nós!


segunda-feira, 25 de junho de 2012

Hoje, se começar a falar...


... vou começar a chorar!

Estou tão cansada... não havia necessidade...

Será que pensam que sou algum E.T.? Não sei... mas acho que isto é uma morte lenta...


O meu Bispo...




... perguntou se também nós queríamos ser santos, assim como S. João Baptista. Respondemos-lhe que sim, e no fim, o nosso Bispo recordou-nos da nossa resposta. 

Saí feliz... mas não demoraria mais do que 2 horas, para me porem à prova, para me humilharem... para... me ofenderem... não sei se é demência, se é prazer de humilhar....

"Oh, mãe... o que foi isto?" - E as lágrimas caiam-lhe pelo rosto... encolhi os meus ombros e de olhos marejados, estendi-lhe os meus braços e beijei-lhe a cabeça... esperei que se acalmasse e que conseguisse secar as lágrimas e depois fomos passear. 

Não falámos sobre o  assunto, até porque nem sei o que dizer... mas a verdade... é que sinto os meus braços a desfalecer, a força a ir-se e não sei se sou Santa, para levar "isto" até ao fim... até onde Deus, quer que eu chegue...

Renova-me, Senhor JESUS!
Fortalece-me, Senhor JESUS! 

terça-feira, 19 de junho de 2012

E JESUS Falou...


... como que ao meu ouvido!

Certezas, nunca as terei. Pude ir á Missa ferial, há muito que não ía...

N. Senhor, tem trabalhado em mim de forma impressionante... não impressionante, porque seja algo de espectacular , mas porque me confirma no caminho e escolhe sempre a mesma "voz" para me falar!
E é sempre tudo tão tranquilo, tão pacificante... muito embora, haja alguns momentos em que me sinto inquieta... porque JESUS, nos desinquieta, nos abana até...

Obrigada, Senhor JESUS!

quinta-feira, 14 de junho de 2012

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Quero ser Tua, Senhor Jesus!



Durante a Eucaristia, disse a JESUS que queria ser D'Ele, que queria amà-LO, mais e mais...

No fim da Eucaristia, o meu Pároco perguntou-me se poderia ficar com JESUS uma hora, se poderia assegurar a Exposição do Santissimo Sacramento durante uma hora...

Jamais poderão imaginar o que senti no meu coração, há alegrias que só N. Senhor nos dá e só Ele mesmo conhece!

Louvado Sejas, meu JESUS amado!

domingo, 10 de junho de 2012

Pus Batom e fui trabalhar... (Parte II)



Continuação.

Há gestos simples e inofensivos, que dificilmente nos passa pela cabeça, deixá-los de fazer.

Eu, estive um ano inteirinho sem colocar batom nos dias de trabalho!

Sem procurar ouvir conversas alheias, ouvi por providência divina, que era alvo de desconfiança por parte da minha patroa... incrédula e chocada, calei-me e rezei!

Passei anos sem olhar por mim, centrando-me apenas no meu papel de mãe, de coração atribulado e angustiado. Quando finalmente, tudo passou, comecei então a olhar por mim. Os muitos cabelos brancos, quis tapá-los... procurei então uma tonalidade que favorecesse o meu tom de pele, coloquei-me nas mãos de profissionais, o cabelo e as mãos, estavam realmente muito bonitas. Não saia de casa sem uma cor nos lábios, um leve tom nas pálpebras... tal e qual, como fazia antigamente.

Confrontada com tamanho choque, analisei-me! O que teriam visto em mim, para ser alvo de uma acusação que rebaixa tanto a mulher? O que teria eu feito?

Não encontrei nada que eu pudesse ter feito, que eu pudesse ter dito... voltei a cabeleireira e voltei a pintar o meu cabelo, no tom original... deixei de mandar arranjar as unhas, deixei de me maquilhar... e, continuei a rezar e a esperar!

Não é uma prova fácil de ultrapassar e só vários meses depois, é que arranjei coragem para falar com o meu Pároco. Ouviu-me atentamente, e falou-me do martírio dos Cristãos... explicou-me que não há só o martírio de sangue e que ainda não descobriu qual o martírio que custa mais... se aquele que nos rouba a vida de um golpe só, se aquele que nos "mata" aos poucos... pediu-me para não deixar de rezar e para continuar a entregar tudo a JESUS, para continuar a ter um coração de "ovelha", porque o Senhor, só é pastor de ovelhas, jamais de lobos.

O que eu não lhe contei, é que o meu confessor se havia recusado a ouvir-me nessa altura... não o julguei (pelo menos tentei), nem admito que ninguém o faça. Se já rezava por este, continuei a fazê-lo... muito embora me sentisse magoada. Agora... com alguma distancia no tempo, vejo que tudo isto tem o mesmo selo, o selo do mal, do inimigo... que semeia a discórdia, a desunião, a tristeza, desejando ardentemente a nossa perdição através do desespero. 

Creio que esta provação, foi ultrapassada pela Grande Graça que é Ter Jesus na nossa vida!  

Agora... pus Batom e fui trabalhar!  

terça-feira, 5 de junho de 2012

Pus Batom e fui trabalhar... (Parte I)



... parece um gesto simples, mas acreditem que não é, pelo menos para mim!

Sempre gostei de usar um batom suave, sombra nos olhos e rimel... tudo muito suave e sóbrio. Apenas um gesto de brio, próprio de quem é mulher! 

quinta-feira, 31 de maio de 2012

O Sentido de Humor de Jesus...



Certo dia, ouvi alguém dizer que JESUS deveria ter um sentido de humor incrível... na altura, fiquei a pensar no assunto e achei que deveria ser verdade!

Quando eu digo a JESUS, Olha Senhor, eu não quero "isto"... é isso mesmo que Ele me dá...

Em dia de Pentecostes, fiz o que havia sentido ser chamada a fazer, mesmo contrariada e com um montão de desculpas na minha cabeça... acabei por cumprir, o que eu acreditei ser inspiração do Espírito Santo.

Acabei por ser confrontada, e na verdade, para a mesma situação podemos dar-lhe mais do que um nome, mais do que uma descrição... basta para isso, que vejamos sob perspectivas diferentes... e adiantaram ainda:

- "Aparece...!"

Esclareci apenas um termo utilizado, e nada mais acrescentei. Pensei para comigo mesma: "nunca mais apareço... enquanto me lembrar, não o farei. Não quero este tipo de coisas, mais vezes... pelo menos, enquanto for eu a escolher..."

Alguns dias depois, eu continuei sem aparecer e... como diz o velho ditado: "se maomé não vai á montanha, vai a montanha a maomé..." e acho, que o que aconteceu ali... foi uma "grande partida de JESUS"... e quase sorri... mas uma vez mais, prendi o sorriso, e vou prendê-lo muitas mais vezes... a sério que vou! Apesar de tudo há distâncias que pretendo manter... e corro o risco de ir contra a vontade do Espirito Santo.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Um dia...


... logo após o meu testemunho, do que tinha sido a minha presença numa determinada acção de Evangelização e de ter frisado a minha maneira de ser - tímida - a religiosa, agarrou-me na mão e agitou-a firmemente, dizendo-me... "tu, não és tímida... estás cheia de Deus!"

Ainda hoje, não compreendo tais palavras... mas quero acreditar nelas... a cada dia!

Louvado Seja N. Senhor Jesus Cristo e Sua Mãe, Maria Santíssima!

Abraço de Pai!





terça-feira, 22 de maio de 2012

Ensinaram-me um dia... (Parte I)


... que devia entregar tudo a JESUS!

E as suas palavras foram:

"Entrega-LHE tudo... o teu ser, todo o teu corpo... até o teu cabelo, as tuas unhas... tudo, tudo..."

E nestas palavras... havia um olhar de uma ternura imensa, não por mim... mas por JESUS!
Sinceramente, não sei o que me tocou mais... se as palavras, se o olhar... talvez as duas em conjunto... pois desejei também eu, ter aquele olhar de ternura por e para JESUS!

segunda-feira, 21 de maio de 2012

A viagem que não chegou...


á Igreja... tornou-se para mim, um verdadeiro inigma. Tentei acalmar-me... reflectir sobre... tudo!

Programei para mais tarde, a ida à Missa, numa outra Paróquia... algumas horas depois, uma amiga entrando em contacto comigo, fazia-me saber da catástrofe que se tinha dado perto de si, mas não o suficiente para se sentir em perigo... e falou-me da gratidão para com Deus!

E sabem que mais?! Senti-me muito agradecida, pelas suas palavras... pela forma como partilhou comigo esta sua vivência e adiantei-lhe que rezaria pelas vitimas, e que agradeceria a Deus... agradeceria tudo...

Certezas jamais as terei, mas porque motivo mais, ver-me-ia eu obrigada a voltar para trás, já a caminho da Missa?

A viagem para a Igreja...


... estava a ser feita, debaixo de gritos!

Há momentos em que me sinto a enlouquecer!

Porquê? Porquê? Porquê? - Era o que mais sobresaía... o atraso era tão notório, que lhes adiantei: Voltamos para trás!

Oh, Cristo! Se eu entrasse na igreja depois "daquilo", não prestaria atenção a mais nada...

Baralhada; incomodada e sem saber o real porquê de tudo aquilo, permaneci em silêncio!
Um silêncio... que não queria ser ofensa, que não queria embarcar em ofensas...

De facto, não demoraria muito a responder... há sempre algo que nos provoca por demais... e o que me provocou foi:

"Porque é que não pode comer? Não pode comer, só porque vai comer a "bolacha"?"

Adiantei-lhe, que não iria discutir esse assunto, com quem nunca foi à catequese, nem mostra qualquer interesse sério, em conhecer JESUS, nem a sua doutrina... mas pedi-lhe para se calar, para não dizer mais disparates...

Há momentos em que me apetece desistir... sinto os meus braços a "descair"!

quarta-feira, 16 de maio de 2012

segunda-feira, 14 de maio de 2012

O Coro estava alto...


... não estava no Alto Coro, mas estava alto - cantava alto de mais. Sou dura de ouvido e tenho grandes dificuldades em perceber as desafinadelas mais ligeiras...

Mas de facto, o coro não me pareceu nada bem... a dada altura, parecia que cantavam aos gritos... jamais terei a ousadia de me candidatar a um coro, não tenho qualquer apetência para o canto... e acho muito bonito quem se predispõe a tal serviço.

Enquanto me aguentava (tinha dores de cabeça) a ouvir aquele coro aos gritos.... pensava nas vezes em que rezamos, e na forma como o fazemos...

Ficou esta pergunta:

Quantas vezes, não rezamos nós aos gritos?




sexta-feira, 11 de maio de 2012

Apetecia-me...



... sentar, neste banco de jardim... deixar-me ficar de olhos fechados... respirar apenas...

Tenho uma vontade imensa de chorar... sem motivo aparente, há-de ser cansaço acumulado, sei lá...

Cansada de ver o que não gosto,
Cansada de ouvir o que não quero,
Cansada de fazer o que não me apetece,
Cansada de me sentir... como não gosto...

Olha, Senhor Jesus, entrego-te tudo... e a Ti me confio!

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Redes socias...


...ou... a sociedade em rede?!

Perturba-me o facto de tantos estarem em rede, de "partilharem" tanto... fotografias, pensamentos, estados, etc...

Que me perdoem... mas ninguém partilha nada, é um engano!
Partilhar, é amar, é fazer-se presente...

Gosto de ouvir a voz dos meus amigos, do seu abraço, rir a bandeiras despregadas ou permanecer em silencio com estes, quando a dor é imensa. Para mim, partilha é isto!

Também estou nas redes sociais, e é por isso mesmo que faço esta observação. Antigamente, os amigos e familiares falavam... se se aborreciam, faziam-no frontalmente ou deixavam de aparecer, dando a entender a sua mágoa. Hoje... publicam imagens com textos pré-escritos e partilham com a pessoa em questão... fazem-no de forma indirecta e impessoal... mostram a toda uma rede, o pior que há em si! E pior que tudo isto, fazem-no levianamente...

Hoje apeteceu-me desabafar...  :( 

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Quero caminhar...



...não apenas por caminhar.
...não de qualquer forma.
...não a qualquer custo.

Quero caminhar com sentido, com coerência e... em comunidade... 
Mas entre o que eu quero e o que eu devo fazer, vai uma grande distância...

quinta-feira, 3 de maio de 2012

"O que fizes-te tu?"


Durante grande parte da minha vida, senti-me um zero à esquerda... senti-me aquela que nada sabe, que nada é... que ninguém pensou, ou que até alguém pensasse que vingaria na vida ( que é como quem diz, alguém capaz de se sustentar e de constituir uma familia). Por serem tantos... acabei por acreditar que eu, nada era... de qualquer forma, uma força "misteriosa" dentro de mim, impelia-me a fazer, a acreditar, a lutar...

Nunca desisti de mim, dos meus ideais... de tudo quanto eu queria e desejava. Muitas vezes,  senti-me a remar contra a maré... 

Neste fim-de-semana; disse-lhes que ia fazer um ano, que não me falava... estupefactos e em unissono, perguntaram-me: "O que fizes-te tu?"

- Nada. - Respondi-lhes.
- Não faço ideia do que se passa, mas já ultrapassei a fase da incredulidade e revolta. Mas que é estranho, é... muito até!

Bombardearam-me com perguntas, questões... e a que sobresaiu mais foi:

- "Também há disso na Igreja? Cada vez acredito menos na Igreja, acredito em Deus e N. Senhora e chega...olha que realmente... nem sei porque continuas a ir á Missa, é que disso, desse tipo de tratamento, há aos montes cá fora!"

Entendi aquela revolta, pois também foi a minha... a minha vida tem sido marcada com este tipo de atitudes, verdadeiros momentos de desprezo, de indiferença... mas não me habituo a isto!

Sai do carro e respondi-lhes que sim, que ia á Missa porque acreditava na Igreja, em Deus, N. Senhora e JESUS CRISTO... o resto, não é meu... não me pertence...

Apressei o passo, a Missa ía começar! Apressei também o meu pensamento... há-de haver almas muito atribuladas, e esta... há-de ser uma dessas almas, há-de ter algum sofrimento grande... nenhuma alma curada e sã, faz isto! Ai não faz, não!

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Falar do Bom Pastor...

é falar de JESUS!


Olho para esta imagem, tirada aqui da net, e vejo-a como que sendo a realidade.

Quantas vezes me senti protegida de verdadeiras "feras"?
Quantas vezes me vi livre de perigos?
Quantas vezes me vi ao colo de JESUS, tal e qual a ovelha perdida?

Não terei jamais palavras de gratidão, suficientes... nada que eu possa oferecer a JESUS, me parecerá suficiente, face a tão grande gratidão que LHE sinto!

Obrigada, JESUS!

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Gostava de dizer...

... pessoalmente: "meu irmão, perdoo-te!"

Na verdade, o "escaldão" foi tão grande, que nos próximos 30 anos, não me aproximo! Perdoo, no meu coração e rezo, rezo como tenho rezado desde a 1ª hora, para que N. Senhor não lhe falte.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Comovi-me...


... após ter pedido oração ao meu Pároco. As suas palavras, confirmaram-me na fé... no caminho... ciente da minha pequenez e fragilidade, esperava correcção. No fim, confiou uma vez mais à minha oração, as suas intenções, que são muitas e diversas. Já nem lhe digo que sim, pois este não é um compromisso que tenho para com o meu Pároco, mas sim com JESUS, quando há uns anos em oração me senti inspirada a "entregar-me" a JESUS, por "eles"(imagem de vários rostos, onde constava o rosto deste sacerdote), estava longe de saber que viria a ser o meu Pároco... daí, eu assumir que o meu compromisso é com JESUS!

O que mais me comove? É na sua "ignorância" (desconhece este episódio acima relatado) e simplicidade, confiar-se a si próprio e às sua intenções, à minha oração! E nada lhe pergunto...


segunda-feira, 23 de abril de 2012

Pedi...

... a amigos, para rezarem por mim, por este meu medo.


Não quero, nem gosto deste tipo de sentimentos... e por isso, hoje pedi ao meu Pároco para rezar por mim!



terça-feira, 17 de abril de 2012

Ser Igreja...

... é ser comunidade! É caminhar no mesmo sentido, com a mesma intenção...


Há pessoas que nos evangelizam, mesmo depois de terem partido para a Casa do Pai!
Por agora fico-me por aqui... rezo a N. Senhora, para que me ajude a avançar... a perder o medo de ser Igreja!



sexta-feira, 13 de abril de 2012

Descobri o valor do abraço...

... há algum tempo, quando finalmente pude viver um luto com décadas de atraso... foi um abraço que me suportou... e, eu quero acreditar que foi na verdade um abraço de Deus Pai!



No fim da Missa de Corpo Presente, quis abraçar as irmãs... eram (e são) uma familia tão unida, que só de olhar para elas, acreditamos na possibilidade da Familia Feliz! Queria abraçá-las... dar-lhes apenas o que poderia dar... mas não havia como, era muita gente... dei um beijinho à mais nova e estendi a minha mão, ao rosto da mais velha... queria mostrar-lhe o meu carinho, pelo menos... surpresa das surpresas... beijou-me a mão! Entendi este gesto, como que um gesto de gratidão... mas não deixei de ficar surpreendida.

Á saida da igreja, encontrei isolada e com lágrimas no rosto, quem havia perdido a mãe há apenas 3 dias... limpei-lhe as lágrimas do rosto e dei-lhe uma abraço apertado... em silêncio... creio que nestas horas, deixo de saber falar... então abraço, sem medo que me julguem mal!




quinta-feira, 12 de abril de 2012

As palavras que não te disse...

... minha querida!


O Pároco confiou-me ás tuas mãos, para que me ensinasses a servir em Igreja e á Igreja... para que me integrasses na tua comunidade... e fizeste-o de forma exemplar e irrepreensivel.

Só Deus e o Pároco, sabiam das muitas dores que eu trazia... sofrimentos desnecessários (isto digo eu), infligidos por uma comunidade "doente". Sim. Doente espiritualmente. Eu havia aprendido da pior maneira, a fazer silêncio... a calar as minhas dores... apenas a ouvir e a falar somente o indispensável! Verdade seja dita, isto não é caminhar em comunidade é antes procurar, sobreviver em comunidade... e descobri isso naquela que era a tua comunidade, onde me acolheram de braços abertos e sorriso no rosto!

Tinhas apenas um defeito... ou melhor, temos as duas o mesmo defeito... ambas gostamos de dar e receber beijinhos... dizias-me ás vezes; "que bom, que somos parecidas... é mais fácil trabalhar assim..."

Descansa em paz, minha querida!


sábado, 7 de abril de 2012

Quero consolar JESUS! Sábado Santo


Reflexão de:
 Concha


Quero Consolar Jesus

A Quaresma, para nós cristãos é sempre um tempo de introspecção, na medida em que no dia a dia nos deixamos frequentemente arrastar por tudo aquilo que o mundo sedutoramente nos oferece. Esta paragem é então oportunidade de reformularmos a nossa vida e ver o que poderá ser alterado afim de que nos aproximemos mais de Deus.

Este é um tempo em que somos convidados ao silêncio no nosso coração. Este silêncio nem sempre é fácil, porque pressupõe que nos esvaziemos de tudo o que nos enche para que haja somente lugar para Deus. 

Deixar o meu egoísmo, o meu orgulho, a minha auto-suficiência, a minha vontade, os meus conhecimentos, para ser apenas vazio é algo que com as minhas forças não consigo.

Este ano impelida nem sei bem porquê, ou antes é claro que pelo Espírito Santo, que nos leva a superarmo-nos sempre e cada vez mais, fiz o propósito de escutar mais a palavra e também de estar mais atenta à murmuração. A minha e a alheia, não alimentando aquilo que muitas vezes vem só camuflado como um pedido de informação. A palavra tal como diz a Bíblia, rega produzindo sempre o seu efeito e a murmuração mata.

Todos os dias às 5:30 da manhã, toca o despertador, para numa igreja aqui próxima e com outros irmãos em Cristo rezarmos as laudes. Sem dúvida que o dia começa cedo, mas não conheço outro modo melhor de o iniciar, fortalecendo-me para tudo o que posteriormente vem à minha vida. Ao fim da tarde também numa igreja próxima rezo as vésperas seguidas da eucaristia. Todos os dias com excepção do sábado e do domingo. Às sextas-feiras também percorro os 14 passos da Via-Sacra associando-me assim ao sofrimento do Senhor na sua paixão e morte.

Posso consolar Jesus de muitos modos: pela palavra discernida e interiorizada, pela oração persistente, pela relação com aqueles que Deus coloca no meu caminho dando testemunho de vida e fazendo com que assim eles adiram às propostas de Jesus. Amar o próximo é consolar Jesus que se encontra no coração do meu irmão.

Nesta Quaresma ao proporcionar condições de aproximação ao outro, nomeadamente familiares, amigos e vizinhos tenho constatado que o Espírito Santo sempre vem em meu auxílio. Isso também não significa que tudo tenha sido um mar de rosas. Juntamente com bênçãos, vêm perseguições. As bênçãos são dom de Deus, as perseguições são pedras no meu caminho para ultrapassar.

 Na bênção apesar de ficar grata a Deus pela graça obtida, há também sempre o perigo de pensar que é mérito meu, enquanto que nas perseguições, posso sentir-me desamparada e até questionar Deus, mas sem dúvida é na tribulação, quando todos os pontos de apoio falham que ouso levantar os olhos ao céu e dizer “Senhor tem misericórdia de mim porque sou uma pecadora”. E Deus nunca nos deixa sós.

Há cerca de seis anos, finalmente abri o meu coração às propostas que Deus me ia apresentando dos mais variados modos e eu cega não via.~

Ontem recebi o telefonema de uma amiga que sendo uma alma boa, teimava em não se aproximar da igreja. Depois de muita insistência, lá marcou para falar com um padre que a esclarecesse naquilo que mais a impedia de se aproximar. Ontem foi com uma voz radiante e segundo ela numa grande paz que me disse, que não só tinha esclarecido as dúvidas como tinha recebido a bênção.

Sem dúvida uma grande alegria!

Há alegria no céu sempre que uma ovelha perdida regressa e há alegria no céu sempre que reconhecemos que “Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida”.

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

------------------ 

Amanhã, Domingo de Páscoa, caminhamos com duas Irmãs em Cristo: Dulce - Degrau de Silêncio e Orvalho do Céu - Espirtual - Idade

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Quero consolar JESUS! 6ª Feira Santa


Cheguei ao Santuário de Fátima sozinha!

Fiz o meu exame de consciência, na capela do SS., ali diante de JESUS. Implorei-lhe luz... para acusar tudo o que me afastava D'Ele, com humildade e arrependimento. Dali, segui corredor adiante para o Sacramento da Reconciliação.

Eram muitos, os que esperavam pelo mesmo... não tinha pressa, aquele tempo... não era o meu, eu achava que o tinha guardado para JESUS. Não olhei para o relógio... mas estava sentada na 3ª carreira de bancos, na ultima fila, no ultimo lugar... não escolhi confessionário, nem Padre.

A religiosa fez-me sinal e eu, avancei... confessei as minhas faltas com a humildade possível... eu ia mesmo carregada, desde que perdi o "meu" confessor, nunca mais tive a oportunidade de agendar a Confissão com regularidade, tento assim habituar-me a esta realidade, que é a de muitos católicos. Nada fora do normal, por assim dizer...

Eu, que quero tanto aprender a Consolar JESUS... ouvi assim do Padre:

- "Nada de novo, me traz. Tudo isso está na bíblia... é antigo, por assim dizer. A Senhora, sabe o que é isso?"

Calada, olhei apenas o Padre, esperando ouvir mais... ao que me adiantou:

- "Isso é a Cruz! Já perguntou alguma vez a JESUS, porque lhe dá Ele essa cruz?"

Timidamente, respondi-lhe que não, mas que LHE agradecia.

- "Nunca teve a curiosidade de LHE perguntar? Sabe... N. Senhor dá-lhe essa Cruz, porque confia muito em si..."

Diante dos meus olhos esbugalhados de espanto... apresentou-me uma pagela de JESUS MISERICORDIOSO... desabei num choro... controlado, mas intenso!

- "Acho que a senhora está a levar muito bem essa cruz, mas só lhe falta uma coisa... levá-la com alegria.  Conhece esta imagem? Conhece a jaculatória: Jesus, eu confio em Vós!? Sabe rezar o Terço da Divina Misericórdia?"

Sem conseguir parar aquele choro, acenei-lhe com a cabeça afirmativamente.

- " Se sabe, então reze-o. Confie a N. Senhora a sua cruz, Ela a ajudará. JESUS, confia tanto em si... confie N'Ele também!"

No intimo do meu coração, era um reboliço... tal e qual um vendaval... e só me ocorria: como é possível... JESUS confiar em mim... eu... este vaso tão frágil!!! Como é possível?

- " Alegre-se, confie em JESUS e se já reza... reze mais. Olhe para o exemplo de Stª Mónica... que com lágrimas, sacrifícios e oração... olhe para o que o Senhor fez através dela, siga-lhe o exemplo."

Antes de sair... limpei as lágrimas... eu não estava triste, mas chorei... diante N. Senhor cumpri a minha penitência e deixei-me ficar mais algum tempo...

Queria acalmar, ordenar aquela revolução interior... agradeci a JESUS, tamanha graça recebida, as palavras daquele Sacerdote... mais parecia um pai a esclarecer um filho... não sei explicar... quando finalmente me acalmei... agradeci, agradeci, agradeci... reparei em que dia estava e agradeci mais ainda... que consolo era aquele... afinal, eu... que queria tanto consolar JESUS... era eu a consolada por Ele!!!
Saiu-me então cá de dentro:

Oh, Cristo... que não TE sei amar... e choro... porque quero aprender a amar-TE.

Pois na verdade... não descobri ainda como consolar JESUS... desejo fazê-lo, mas ainda assim... é Ele que vem até cada um de nós e nos ama incondicional e inteligivelmente...

Antes de sair... - acho que inventei de tudo para ficar pertinho de JESUS - abri a Sagrada Escritura e li o que N. Senhor, tinha para me dizer:

Lc 22, 42

"Pai, se quiseres, afasta de mim este cálice; contudo, não se faça a minha vontade, mas a tua."

Foi esta a oração de Jesus, no Horto... sabia bem o que estava a viver, o que se iria passar... também Ele se angustiou, chegando mesmo a suar sangue... mas de coração manso e humilde, aceitou o Sacrifício, numa confiança tal... que nos assusta, nos interpela e nos tira do comodismo.

Não tinha eu, mais dúvida alguma... o Sr. Padre já me tinha falado no caminho de confiança, que eu deveria trilhar... a Sagrada Escritura, só o confirmou... se bem que de forma radical, é certo!

Senhor Jesus, faça-se em mim segundo a Tua vontade!

___________
Hoje , 6ª-Feira Santa, dá-se inicio á Novena da Divina MIsericórdia, siga aqui através da nossa amiga Dulce
___________

Amanhã (Sábado Santo) caminhamos com a nossa amiga Concha, aqui, visto que não tem blog.