sábado, 14 de janeiro de 2012

O Combate Espiritual (Parte II)



Entre todos os meus afazeres diários, obrigações de mulher, mãe e dona de casa, consegui de forma extraordinária estar presente. Ouvi a explicação do que era o movimento Legião de Maria, e destacou-se a frase: 

- "É um movimento de combate espiritual." - Associei então à imagem das duas espadas que lutavam entre si.

No fim da reunião e da explicação, percebia no meu intimo que não tinha como participar em tal movimento. Nem o dia da semana me dava jeito para ir à reunião, nem as actividades sugeridas... não tinha como. 

Em jeito de conclusão da referida reunião o Pároco referia-se a este movimento, com as seguintes palavras:

- "É nitidamente uma obra de N. Senhora."

O meu coração sorria, e eu também! Percebi naquele instante, que meses antes, N. Senhor me havia dado esta intenção para rezar - Uma obra de N. Senhora, de combate espiritual! Haveria esta, de ser semeada ali, na minha paróquia, eu não podia participar activamente, mas podia rezar!

Às vezes, percebo e persinto que N. Senhor me confia "muito"... e para ser franca, tenho medo... medo, porque sou pequenina, frágil e impotente. Apenas oro e ofereço os meus sacrifícios, dores, lágrimas e... até eu mesma!





Sem comentários: