terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Esoterismo - A voz de quem luta diariamente contra os seus malefícios. (Parte V)

(continuação)


O esoterismo está expresso em ocultismo. 

No interior do seu universo oculto, o demónio proclama-se como rei. Pelas vias do esoterismo, o demónio distribui diversas missões, temos assim os bruxos; os quiromantes; os macumbeiros; os cartomantes; satânicos, etc...

Por vezes, a mesma pessoa exerce mais do que uma destas práticas. Estão assim, em todos os sectores da nossa sociedade. No sector financeiro; económico; politico; jurídico; educacional; etc...

Hoje, a sociedade está em constante lavagem cerebral, para que não tenhamos medo das coisas do demónio. A falta de formação do clero, favorece o desenvolvimento destas seitas. Se o clero receber uma maior  e/ou melhor formação , haverá menos danos no povo de Deus.

- Como é que os ocultistas não parecem apresentar possessão diabólica?

Enquanto que nos místicos (santos), as faculdades do intelecto, são elevadas a Deus e não suspensas [o místico, dá-se a Deus, por amor], os ocultistas, entram em estado de suspensão passiva, durante a qual se mantêm de espírito dócil, ás mãos do espírito maligno.

Nos ocultistas, também encontramos satânicos. Tanto nuns como nos outros, estão em acto de possessão diabólica. 

O estado de mediunidade, oscila do transe ligeiro ao muito profundo. Este estado de mediunidade, pode ser lúcido ou inconsciente. Embora inconsciente, mas desejado! Em graus mais elevados, podem entrar em transe, sem perder a consciência. O demónio fala através da pessoa, sem alterar o timbre que caracteriza a sua voz. A própria pessoa, não dá conta que é o demónio que se apresenta nele.

Que não haja qualquer dúvida, que se realizam verdadeiras curas diabólicas, e que há cartomantes que dizem coisas, só do conhecimento da própria pessoa que procura estes "serviços". É o chamado engodo! Quanto ás presumíveis conversas com defuntos, é sempre o demónio que "fala", que revela. Quer a través da "cura", ou comunicação com "presumível" defunto, que fique bem claro, que se abriu uma brecha estabelecendo comunicação com satanás, que tem assim as mãos livres para provocar um dano grave na vida dessas pessoas, a menos que se arrependam seriamente e retomem a sua vida cristã, confessando-se, orando e comungando.

Leitura sugerida pelo orador: Catecismo da Igreja Católica (CIC) n.º 2117


Continua




Sem comentários: