quinta-feira, 12 de abril de 2012

As palavras que não te disse...

... minha querida!


O Pároco confiou-me ás tuas mãos, para que me ensinasses a servir em Igreja e á Igreja... para que me integrasses na tua comunidade... e fizeste-o de forma exemplar e irrepreensivel.

Só Deus e o Pároco, sabiam das muitas dores que eu trazia... sofrimentos desnecessários (isto digo eu), infligidos por uma comunidade "doente". Sim. Doente espiritualmente. Eu havia aprendido da pior maneira, a fazer silêncio... a calar as minhas dores... apenas a ouvir e a falar somente o indispensável! Verdade seja dita, isto não é caminhar em comunidade é antes procurar, sobreviver em comunidade... e descobri isso naquela que era a tua comunidade, onde me acolheram de braços abertos e sorriso no rosto!

Tinhas apenas um defeito... ou melhor, temos as duas o mesmo defeito... ambas gostamos de dar e receber beijinhos... dizias-me ás vezes; "que bom, que somos parecidas... é mais fácil trabalhar assim..."

Descansa em paz, minha querida!


4 comentários:

Concha disse...

Querida Filha de Maria!
Mesmo sabendo nós, que quem parte vai para a casa do Pai, a saudade é difícil de suportar.Pode é ser atenuada com recordações de bons momentos.Pelo que li, é o que fazes.
Um beijinho grande é que o Espírito Santo te cumule de bençãos.

Ailime disse...

Amiga Filha de Maria,
Uma linda homenagem a alguém que lhe é muito querida e ficará sempre no seu coração.
Os momentos que passaram juntas, mesmo que em silêncios de alma, perpetuarão a sua memória.
Que o Senhor a tenha no seu eterno descanso.
Beijinho amigo.
Ailime

Dulce disse...

Tal como disse S. Agostinho:
"A morte não é nada..."
Paz à alma de quem já encontrou "TUDO". Eu, como cristã, acredito!
Um beijinho filha de Maria

Filha de Maria disse...

Concha; Ailime e Dulce;

Muito obrigada pelas v/ palavras.

Beijinho fraterno.