sexta-feira, 13 de abril de 2012

Descobri o valor do abraço...

... há algum tempo, quando finalmente pude viver um luto com décadas de atraso... foi um abraço que me suportou... e, eu quero acreditar que foi na verdade um abraço de Deus Pai!



No fim da Missa de Corpo Presente, quis abraçar as irmãs... eram (e são) uma familia tão unida, que só de olhar para elas, acreditamos na possibilidade da Familia Feliz! Queria abraçá-las... dar-lhes apenas o que poderia dar... mas não havia como, era muita gente... dei um beijinho à mais nova e estendi a minha mão, ao rosto da mais velha... queria mostrar-lhe o meu carinho, pelo menos... surpresa das surpresas... beijou-me a mão! Entendi este gesto, como que um gesto de gratidão... mas não deixei de ficar surpreendida.

Á saida da igreja, encontrei isolada e com lágrimas no rosto, quem havia perdido a mãe há apenas 3 dias... limpei-lhe as lágrimas do rosto e dei-lhe uma abraço apertado... em silêncio... creio que nestas horas, deixo de saber falar... então abraço, sem medo que me julguem mal!




3 comentários:

Concha disse...

Querida amiga
Há abraços que em determinadas alturas dispensam qualquer palavra.Desde a morte de alguém muito próximo, que deixei de dizer seja o que for quando cumprimento alguém num funeral.Dizem-se por vezes palavras de circunstãncia que não transmitem nada a quem passa por um luto.Optei pelo abraço sentido,com um olhar bem nos olhos, que julgo ser o meu modo de ser verdadeiro naquele momento.
Abraço enorme cokm votos de continuação de Santa e Feliz Páscoa, alargado às nossas amigas do "consolar Jesus".

Ailime disse...

Olá amiga Filha de Maria,
Num abraço transmitimos o calor do carinho e da solidariedade que em determinadas circunstâncias, como nos casos de luto, tem uma carga emotiva mais forte, em que as palavras que por vezes nos faltam não conseguem ter essa dimensão.
Abraço-a e a amiga Concha desejando também continuação de Santa Páscoa.
Ailime

malu disse...

É mesmo um abraço forte que nessa altura nos sabe bem e "soa" a verdade.´Não deve ser fácil fingir um abraço.

Ò que querida a Concha a deixar-nos um. Outro para ti Concha :)
E outro para ti, a Ailime e alargado tb às nossas amigas consoladoras de Jesus.