sexta-feira, 6 de abril de 2012

Quero consolar JESUS! 6ª Feira Santa


Cheguei ao Santuário de Fátima sozinha!

Fiz o meu exame de consciência, na capela do SS., ali diante de JESUS. Implorei-lhe luz... para acusar tudo o que me afastava D'Ele, com humildade e arrependimento. Dali, segui corredor adiante para o Sacramento da Reconciliação.

Eram muitos, os que esperavam pelo mesmo... não tinha pressa, aquele tempo... não era o meu, eu achava que o tinha guardado para JESUS. Não olhei para o relógio... mas estava sentada na 3ª carreira de bancos, na ultima fila, no ultimo lugar... não escolhi confessionário, nem Padre.

A religiosa fez-me sinal e eu, avancei... confessei as minhas faltas com a humildade possível... eu ia mesmo carregada, desde que perdi o "meu" confessor, nunca mais tive a oportunidade de agendar a Confissão com regularidade, tento assim habituar-me a esta realidade, que é a de muitos católicos. Nada fora do normal, por assim dizer...

Eu, que quero tanto aprender a Consolar JESUS... ouvi assim do Padre:

- "Nada de novo, me traz. Tudo isso está na bíblia... é antigo, por assim dizer. A Senhora, sabe o que é isso?"

Calada, olhei apenas o Padre, esperando ouvir mais... ao que me adiantou:

- "Isso é a Cruz! Já perguntou alguma vez a JESUS, porque lhe dá Ele essa cruz?"

Timidamente, respondi-lhe que não, mas que LHE agradecia.

- "Nunca teve a curiosidade de LHE perguntar? Sabe... N. Senhor dá-lhe essa Cruz, porque confia muito em si..."

Diante dos meus olhos esbugalhados de espanto... apresentou-me uma pagela de JESUS MISERICORDIOSO... desabei num choro... controlado, mas intenso!

- "Acho que a senhora está a levar muito bem essa cruz, mas só lhe falta uma coisa... levá-la com alegria.  Conhece esta imagem? Conhece a jaculatória: Jesus, eu confio em Vós!? Sabe rezar o Terço da Divina Misericórdia?"

Sem conseguir parar aquele choro, acenei-lhe com a cabeça afirmativamente.

- " Se sabe, então reze-o. Confie a N. Senhora a sua cruz, Ela a ajudará. JESUS, confia tanto em si... confie N'Ele também!"

No intimo do meu coração, era um reboliço... tal e qual um vendaval... e só me ocorria: como é possível... JESUS confiar em mim... eu... este vaso tão frágil!!! Como é possível?

- " Alegre-se, confie em JESUS e se já reza... reze mais. Olhe para o exemplo de Stª Mónica... que com lágrimas, sacrifícios e oração... olhe para o que o Senhor fez através dela, siga-lhe o exemplo."

Antes de sair... limpei as lágrimas... eu não estava triste, mas chorei... diante N. Senhor cumpri a minha penitência e deixei-me ficar mais algum tempo...

Queria acalmar, ordenar aquela revolução interior... agradeci a JESUS, tamanha graça recebida, as palavras daquele Sacerdote... mais parecia um pai a esclarecer um filho... não sei explicar... quando finalmente me acalmei... agradeci, agradeci, agradeci... reparei em que dia estava e agradeci mais ainda... que consolo era aquele... afinal, eu... que queria tanto consolar JESUS... era eu a consolada por Ele!!!
Saiu-me então cá de dentro:

Oh, Cristo... que não TE sei amar... e choro... porque quero aprender a amar-TE.

Pois na verdade... não descobri ainda como consolar JESUS... desejo fazê-lo, mas ainda assim... é Ele que vem até cada um de nós e nos ama incondicional e inteligivelmente...

Antes de sair... - acho que inventei de tudo para ficar pertinho de JESUS - abri a Sagrada Escritura e li o que N. Senhor, tinha para me dizer:

Lc 22, 42

"Pai, se quiseres, afasta de mim este cálice; contudo, não se faça a minha vontade, mas a tua."

Foi esta a oração de Jesus, no Horto... sabia bem o que estava a viver, o que se iria passar... também Ele se angustiou, chegando mesmo a suar sangue... mas de coração manso e humilde, aceitou o Sacrifício, numa confiança tal... que nos assusta, nos interpela e nos tira do comodismo.

Não tinha eu, mais dúvida alguma... o Sr. Padre já me tinha falado no caminho de confiança, que eu deveria trilhar... a Sagrada Escritura, só o confirmou... se bem que de forma radical, é certo!

Senhor Jesus, faça-se em mim segundo a Tua vontade!

___________
Hoje , 6ª-Feira Santa, dá-se inicio á Novena da Divina MIsericórdia, siga aqui através da nossa amiga Dulce
___________

Amanhã (Sábado Santo) caminhamos com a nossa amiga Concha, aqui, visto que não tem blog. 

7 comentários:

malu disse...

Querida Filha de Maria, sem querer escolher palavras para comentar a tua partilha, sempre nos baseamos no ponto que mais nos tocou. É enternecedor e tantas vezes até 'consolador', revermo-nos em experiências de outros e isso é o que me faz sentir 'irmã em Cristo', filhos/as de Deus muito amados e assim como o próprio Pai falou de Jesus.
Deus é Pai e Pai de Amor! :) E a mensagem que captaste para ti nesta situação, não pode ter sido mais reconfortante. O Padre indica-te o caminho da Misericórdia de Deus e assim também, a da Confiança na Sua Sabedoria e no Seu Amor. Aí parei eu e... abrindo este quadradinho de comentários totalmente em branco, aconteceu como quando em silencio no nosso quarto O procuramos, buscando resposta à nossa oração, nos fixamos num ponto da parede ou do tecto e lá encontramos algo que nos fala ao coração. Aqui, e a mim foi:

"Dai a Deus o que é de Deus e a César o que é de César"...

Como interligo a tua experiência com tal frase? É com certeza a luz que o Senhor também me quer trazer para o caminho e para as minhas questões, e assim, guardá-las e traduzir a essa luz para que sejam parte do 'guia' a usar daqui para a frente e soa-me assim: "Não te importes tanto com as pedras e os atalhos; com as contrariedades postas na tua cruz e segue filha, separando-as do que te vem de Mim".

E recolho assim as que recebeste através desse Padre que nos sugere a Confiança posta em Jesus Misericordioso em primeiro lugar. Havemos então que serenar e isso ajuda-nos a aceitar também o peso da nossa cruz. Que bom que é termos Jesus e podermos Confiar!

O mundo é mundo e Deus é Pai e está sempre "lá"... e pede-nos tão pouco: que vençamos o mundo. Passo a passo, dia a dia...

Assim, Ele mesmo nos vai dando a cada um, formas de O consolar. É lindo vermos uma criancinha, que mal ainda saiba andar, prendendo a sua mãozita à do seu pai. E é só isso que temos a fazer e ir seguindo com Jesus. Conheço essa sensação de ter na minha mão a de uma criança, a puxá-la suavemente para cima para não cair. Rio-me e agora vejo-me nela, assim e até ao fim. Até à hora em que já tão cansada Lhe peça e me veja ao Seu colo.

Assim há-de ser com todos nós. Andando e tropeçando, mas sempre com esperança nesse gesto e momento esperado, confortante e acolhedor que há-de chegar.

Beijinho grande e obrigada pela boa partilha.

Santa e Feliz Páscoa!

Felipa disse...

Ontem, na missa de lava-pés, senti-me longe, muito longe, demasiado longe de consolar Jesus, porque só lhe pedia consolo, eu pedia, para mim, e era Ele Quem precisava de consolo...
Depois senti-me pertinho dEle, mais para o fim da missa, porque compreendi que Ele estava tão angustiado nessa noite que tinha todo o direito de não me ouvir, era Ele precisava de todo o consolo do mundo para aguentar a bebida desse cálice, que o Pai não afastou dEle...
Hoje, com a leitura do seu testemunho, apoio-me na Cruz. E aceito a minha, mais uma vez, que não é nada fácil de levar, embora também não seja das mais pesadas. E peço-lhe forças para a transportar com alegria, com amor à cruz e a quem ma faz carregar. E lembrei que Jesus aceitou a ajuda do Cireneu, e que também nos envia muitos cireneus para nos ajudar, nós é que não percebemos e não os reconhecemos.

Hoje, você foi o meu cireneu.
Obrigada

Dulce disse...

Esta palavra: confiar. Base de toda a nossa intimidade com Jesus. E como é bom sentirmos que Deus nos confia algo.
Confia quando nos envia a alguém e também quando nos trás, através dum irmão, a resposta, o gesto, a Palavra que precisamos.
Filha de Maria, amiga a quem venho lendo e relendo retalhos dessa confiança tua pessoal com Jesus e Maria e que fazes o favor de partilhar. São tantos os testemunhos que já deste e que preservo; são tantos os momentos em que me identifico que até receio de o dizer sob pena de achares que lá venho eu com as semelhanças, mas é verdade.
Talvez porque o Senhor nos confirma através uns dos outros; talvez porque nos quer fortes e sabe que nos fortalece quando chegamos à conclusão que afinal não somos só nós a tropeçar nas pedras do caminho; talvez por nos quer dizer; olha, ela caiu mas entendeu, ergueu-se e continuou. Faz o mesmo!
E por mais "reboliços" que uma alma sinta, tudo fica apagado perante a bonança que o Senhor trás ao nosso coração quando a Sua Luz incide de forma objectiva e clara sobre nós.
Graças sejam dadas pelo teu testemunho de fé e amor.

Se no início me foi difícil entender esta frase como base da nossa caminhada - quiçá fruto duma mente e sabedoria muito reduzida - hoje sinto que cresci e cresço na forma como entender este "consolar Jesus"
Obrigada do fundo do meu coração

Fa menor disse...

Tamanho o teu testemunho! Obrigada pela coragem e pelo exemplo de Vida aqui expresso.

E, sim, acho que colocarmo-nos nas Suas Mãos também é uma forma de O consolar.

Beijinhos.

Votos de uma santa e feliz Páscoa!

Vida Nova, na Unidade do mesmo Senhor, Vivo e presente no meio de todos e em todos!

Utilia Ferrão disse...

Fico assim sabem a olhar para estas páginas e sinto-me sem palavras.
A minha cruz a vossa cruz e as nossas cruzes numa só a de Jesus.
Obrigada porque eu que costume falar tanto fico calada.
Beijinhos e uma santa Páscoa
Utilia Ferrão

Ailime disse...

Amiga Filha de Maria,
Uma partilha muito bela que me emocionou. Aproximamo-nos de Jesus e Ele desarma-nos sempre!
Queremos consolar e é Ele que nos consola. Há sempre algo que nos quer dizer, que nos quer ensinar!
E pela voz desse Sacerdote Ele falou e disse!
“Não temas, porque eu estou contigo, sempre, até aos finais dos tempos.”
Este Senhor misericordioso que mesmo depois de atraiçoado, flagelado e morto continua a sorrir para nós e a chamar-nos Seus filhos muito amados.
Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo.
Muito obrigada por me ajudar a consolar Nosso Senhor.
Beijinho fraterno
Ailime

Concha disse...

Querida Filha de Maria
Têm sido uns dias preenchidos,mesmo se sabia que estava cá a tua partilha, queria lê-la com alguma disponibilidade.
Muito bom!Escancaraste o teu coração nesta partilha e o resultado é também uma aproximação de todos os que te lêem.Gostei imenso que tivesses falado da cruz, porque dela ninguém consegue fugir e quando o faz não devia.A cruz é para aceitar com alegria, na certeza de que o Senhor não nos dá nada que não tenhamos forças para suportar e só assim é que vencendo-a como Ele a venceu poderemos ser felizes experimentando já aqui um pouco da felicidade do céu.É difícil dizer isto a quem não está em igreja e é difícil a quem não está entender.
Aqui não conseguimos nunca chegar ao fim do caminho, porque há sempre mais e mais a ultrapassar, mas é neste combate permanente que nos sentimos realizados.
Aproveito para te desejar uma santa Páscoa, bem como a todas as amigas que ganhei por teu intermédio.Hoje vou fazer a vigília toda a noite com outras comunidades e é sem dúvida uma noite excelente, porque o Senhor passa por cada um de nós por vezes como já me tem acontecido numa frase de uma última leitura ou num salmo.Pela manhã será o ágape e quase de seguida o almoço com a minha outra família.
Beijinhos e abraços para todas com a minha gratidão por toda a partilha