domingo, 2 de setembro de 2012

O Acordo!





Estive em Fátima, e prometi ao Padre falar com o meu Pároco assim que ele regressasse de férias e esta promessa inclui falar-lhe abertamente sobre tudo o que estou a viver.

Antigamente, a palavra das pessoas bastava para firmar um acordo... mas com o tempo, a palavra  de honra, veio a perder o seu verdadeiro significado, e passou-se aos acordos escritos, assinados e autenticados. Neste caso, dei apenas a minha palavra e espero cumpri-la.

No fim da Eucaristia, dirigi-me à Sacristia, não sem antes perguntar se o poderia fazer. Entrei e esperei pela minha vez, que era a 1ª... O Sr. Padre, pediu-me para aguardar e falou com todos os outros que foram chegando (não fiquei lá muito feliz), cumprimentos de circunstância, entre alegrias de uns e de outros... e eu, à espera ... decidida a cumprir a minha palavra, esperei!

Chegada a minha vez de tempo de antena, pedi marcação de um momento para falarmos dentro da "minha disponibilidade" - certo é que tem que se arranjar um momento que dê para as duas partes - nem pensar, de todo... não terei disponibilidade. Argumentei para uma semana depois... e não me deu resposta, tentou numa outra altura de muita confusão na Igreja, ao que lhe disse necessitar de algum tempo para esta conversa... creio que não me levou a sério e brincou com o facto de "necessitar de algum tempo".

Não lhe consegui sorrir, até porque não gostei da forma como fui atendida. Fica o meu forte desejo de cumprir o que prometi ao Padre, em Fátima!

4 comentários:

Ailime disse...

Olá amiga Filha de Maria,
Ao ler o seu "desabafo", como a compreendi.
Não sei se é por viver numa Paróquia muito grande, por vezes sinto necessidade de também falar com o Padre.
Não é que não encontre receptividade, mas como diz são apenas palavras de circunstância e como era bom por vezes algum apoio espiritual.
Que Deus nos ajude a entender.
Beijinho fraterno.

Joana ;) disse...

Olá Filha de Maria!

Hoje vim visitar o seu cantinho...
Mas que assunto tão importante, é esse, que tem que falar com o seu pároco?

Estou curiosa e a aguardar mais detalhes...

Bjinhox

Filha de Maria disse...

Amiga Ailime;

Se sente de facto essa necessidade de direcção espiritual, não se acanhe. Peça-a, dirija-lhe directamente esse pedido e espere com confiança.


Que Deus N. Senhor a abençoe muito.

Filha de Maria disse...

Joana;

Obrigada por aparecer (tenho andado um pouco ausente).

O assunto jamais o esmiuçarei aqui, mas posso dizer-lhe que as nossas "cruzes", precisam da ajuda de JESUS, e uma das formas é falar com o Padre, ouvir a sua "direcção espiritual", os seus conselhos... nem sempre os amigos nos podem ajudar... e por vezes, são eles mesmos que nos afundam ainda mais.Ou até a própria família, que não aceita a nossa fé...

Quem caminha para Cristo, não caminha como a "Maria vai com as outras", mas sim com a Luz de Cristo, a Verdadeira Luz...

Que N. Senhor a abençoe muito.