quarta-feira, 24 de outubro de 2012

"Já que estamos sós...



... deixe-me desabafar consigo... senão rebento!"


Confesso que entre nós, há uma cumplicidade sincera, mas não somos amigas de andar na casa uma da outra, ou de fazermos programas juntas. Por força das circunstancias almoçamos muitas vezes juntas e por vezes, estamos apenas as duas!

Falou-me do marido, das muitas tarefas a seu cargo, do excesso de cansaço que sente, desde que foi mãe... e do muito que o marido descansa no sofá. Falou-me ainda das muitas discussões e que agora não falava com o marido...

Basicamente, ouvi-a... que haveria eu de lhe dizer? Enquanto desfiava as suas frustrações, desilusões no que diz respeito ao matrimónio... eu viajava dentro de mim, revendo o que já passei e ultrapassei... 

Quando finalmente se calou, para ouvir a minha opinião, como quem espera ouvir a resposta milagrosa... adiantei-lhe que muitas vezes também eu tive vontade de desistir  de baixar os braços... acaso serei eu uma máquina, ou uma super funcionária? Não. Aprendi a fechar os olhos ao que não está perfeito e aprendi a obrigar-me a parar, mesmo quando tudo ainda não está concluído!

Não sou exemplo para ninguém! Mas na realidade, aprendi a reconhecer os meus limites e a verbalizá-los quando me apontam o dedo. Aprendi... que por vezes é melhor ficar calada, do que entrar numa batalha, de onde já sei que saio derrotada... aprendi que me devo respeitar a mim mesma, respeitando os alarmes físicos do meu corpo... aprendi que o sofá, é um oásis... lol. 


Sai dali, com a sensação que não a tinha ajudado muito... e foi então que lhe enviei um video que recebi há algum tempo, que me fez muito bem (lamentavelmente já não me recordo, quem mo enviou), e que partilho aqui... é delicioso! Comprovem!



     

15 comentários:

IsaMaria disse...

Fantástico este seu vídeo. Gostava de ter o lik para o enviar à minha filha para ver se ele entende e sesembrulha as suas questões que a estão a abalar. O soube-me bem lê-la.

www.tretasnofeminino.blogspot.com

Filha de Maria disse...

Seja bem-vinda;

Obrigada pelas suas palavras, mas confesso que este video também me ajudou :)

Aqui vai o link:

http://youtu.be/WBSAVK2xLgU

teresa disse...

excelente ,, sem mais palavras , adorei ler-te , o video ta fenomenal .
beijinhos ..

malu disse...

Filha de Maria, os teus posts dão-nos sempre que pensar. Estou a reler um livro do Pe Tolentino que achei bom para inicio deste ano da Fé e que de certa forma vem ao
encontro da mensagem deste video e logo nas primeiras páginas relata-nos sobre o espanto de Abrão que já velho é chamado a deixar tudo pela missão que Deus lhe confia
e diz assim:

"(...) chamado por Deus para encetar uma nova História, quando pensava que a sua já havia terminado, Abrão vai experimentar isto como desafio inesperado à saída de si, à superação do seu contexto interior e até sociológico. Quando Deus toma a iniciativa, aquele homem rompe não apenas com o cenário geográfico e familiar que eram toda a sua segurança, mas também com o que isso significava: a protecção de uma cidadania, de uma moldura estável, de uma pertença. A vida dele parecia ja resolvida. Ora, a Fé começa por ser, precisamente, desafio a transcendermos a resolução individual da nossa
existência, ou as formas pretensamente definidas que construimos para ela, e nos
abrirmos, até ao fim, ao impacto de Deus. A Fé desinstala-nos para vivermos na dependência de Deus. Não há parques de estacionamento espirituais. Há sim a chamada
ininterrupta a experimentar a itinerância de uma Promessa que é maior do que nós. (...)"

A dada altura Abrão pergunta: "Que me dareis Senhor Deus? Vou-me sem filhos e o herdeiro da minha casa é Eliézer de Damasco" - E diz-lhe o Senhor:

«Levanta os olhos para o céu e conta as estrelas, se fores capaz de as contar.» Até ao fim,
contemplemos a imensidão de Deus, enchamos os nossos olhos da sua grandeza, do oceano sem fim do Seu Amor. Levantar os olhos deslumbrados e confiantes para o céu é a atitude crente. Que os nossos olhos, feitos para olhar as estrelas, não morram a olhar
para os nossos sapatos..."

(contnua)

malu disse...

(continuação)

A passagem seguinte é também muito bonita e esclarecedora mas não caberá inteiramente aqui e deixo apenas uma parte que transcrevo ainda do Pe tolentino que começa assim:

"Penso muito em Etty Hillesum, essa jovem de Amesterdão que nas horas mais sombrias do Séc XX descobre a Fé em Deus, com tanta intensidade e verdade aprende a rezar e se oferece como voluntária para um campo de concentração onde acaba por morrer. O seu Diário transmite um sopro de Espírito refrescante." E ralata um pouco do mesmo:

«Eu não estou para aqui instalada num quarto sossegado com flores, mergulhada em poetas e pensamentos e louvando a Deus. Isso seria bastante fácil; e também não creio ser como os meus bons amigos me chamam,
enternecidos. Cada pessoa tem a sua realidade própria, eu sei, porém não sou nenhuma fantasista sonhadora, um tanto adolescente. Eu encaro o teu mundo olhos nos olhos, meu Deus, e não me refugio da realidade em sonhos belos e, apesar de tudo, continuo a louvar a Tua criação Deus!».


E segue: «Bem podemos, às vezes, sentir-nos tristes e abatidos por causa daquilo que nos
fazem, isso é humano e compreensível. Porém: o maior roubo que nos é feito somos nós
mesmos que o fazemos. Eu acho a vida bela e sinto-me livre. Os céus dentro de mim são tão vastos como os que estão por cima de mim. Creio em Deus.»


Mtos. Bjs, em Cristo e Maria.

joaquim disse...

Gostei muito deste video!

Felizmente muitas mulheres são muito apreciadas pelo seu trabalho e portanto pelas suas famílias.

Quero acreditar que a maioria.

Mas este video pode e deve ser aplicado quase todas as situações do nosso dia-a-dia e particularmente lembrei-me dos catequistas.

Se servimos a Ele, servindo os outros, a nossa maior recompensa é o Seu infinito amor.

Obrigado por este momento.

Um abraço amigo em Cristo

Filha de Maria disse...

Teresita;

Que bom ver-te de volta.

Beijinho fraterno

Filha de Maria disse...

Malu;

Que belissima partilha nos deixas.

Obrigada e um grande beijinho fraterno.

Filha de Maria disse...

Amigo Joaquim;

Também acredito que sim, que o trabalho dos catequistas tantas vezes menosprezado por terceiros, mas será sempre valorizado e amado por Deus.

Beijinho fraterno.

Ailime disse...

Olá amiga Filha de Maria boa tarde,
Não anda fugida não). E acabei de ler este seu artigo e ver o vídeo!
Deixei-me apenas absorver pelas suas palavras e pela mensagem do filme.
Retive do que diz: Deus vê-nos, para Deus não somos invisíveis. Quero crer que muitas mulheres sejam amadas na verdadeira acepção da palavra, mas não estou tão optimista como o nosso amigo Joaquim. Grata por partilhar este vídeo. Beijinhos e bom domingo.

Filha de Maria disse...

Amiga Ailime;


Ando sim, muito arredada destes meios... mas pelo que é, vale a pena. A seu tempo partilharei aqui.

O nosso amigo Joaquim é um, optimista e homem de fé "nato", mas sim, creio que muitas mulheres são valorizadas... quero acreditar!



Beijinho fraterno.

Ailime disse...

Olá amiga Filha de Maria,
Acabo de chegar agora da Santa Missa e vim espreitar o blogue. E quero pedir-lhe muitas desculpas. O que eu pretendia dizer acima e que vou rectificar :"Não ando fugida não)." Referia-me a mim e não à amiga Filha de Maria. O nosso português é muito traiçoeiro;)). A amiga está sempre presente. Beijinhos e muito obrigada. Ailime

joaquim disse...

Minhas amigas, sou realmente um optimista, com fé, claro.

Mas reparem que a noticia neste nosso mundo vai sempre pelo lado negativo, tal como as queixas de cada um.

Por isso as noticias são sempre sobre as mulheres desprezadas e agredidas, pelo que não há noticias ao contrário e assim não haver termo de comparação, mas que para mim, graças a Deus há-de estar muito mais do lado do positivo de que do negativo.
Depois as mulheres, (ou os homens), queixam-se, ( e muito bem, claro), das coisas negativas que lhes acontecem, mas por outro lado não dão testemunho de tudo o que corre bem, pelo que, nós teremos sempre uma apreciação muito deficitária da realidade.

Isto apenas para afirmar o meu optimismo , não deixando de dizer que uma só mulher agredida ou incompreendida. é sempre muito!

Um abraço amigo em Cristo

Filha de Maria disse...

Ailime;

Obrigada :)

Filha de Maria disse...

Amigo Joaquim;

Sim. Tens razão, deveria ser testemunhado os casos felizes, para que outros acreditem que "é possível."

Beijinho fraterno