quarta-feira, 10 de abril de 2013

Catequese... (no café)




(Imagem da net)

Alguns deram-me o seu testemunho, para que não desistisse do serviço de catequese. Outros animaram-me, para que também não desistisse! Eu suspendi! 

Uso de propósito a palavra "suspendi", porque não sou de desistir de nada. Surpreendi o Pároco, com os meus argumentos, verdadeiros e simples. Homem de retórica que nos desarma, no principio do seu discurso, foi incapaz de me desarmar. Confesso, que esperava alguma luta no seu discurso... mas bem vistas as coisas, creio que as minhas palavras, lhe mostravam a minha verdadeira luta, á qual me rendi.

Foram cerca de 2 anos de deserto (e muitos mais virão), afastar-me de um papel da linha da frente e passar para os bastidores, foi um acto de humildade e não de humilhação. 

Centrada na minha luta, quis desistir de muito e só com muito abandono em Deus e N. Senhora, me foi possível aguentar, entre lágrimas, dores e silêncios.

Hoje... dei-me conta, que havia dado uma pequena catequese no café! Sim, no café/ pastelaria/ confeitaria/ cafetaria... isso mesmo. Vi-lhe as lágrimas a querem saltar-lhe dos olhos, quando lhe falei do Amor e Misericórdia de JESUS CRISTO!

Está doente, gravemente doente, sabe-o há apenas 3 semanas. Não faz caminho de fé, mas acredita em N. Senhora e gosta muito Dela - assim mo diz. Comecei por lhe dizer que me deixei encontrar por JESUS, quando estive muito doente, creio que foi assim que ficou a saber que sou católica. Antes de cada peregrinação a Fátima, bebia sempre um café no estabelecimento e em jeito de provocação: Vou a Fátima, quer alguma coisa?

A resposta... era quase sempre a mesma, sorrisos ou então: reze lá por mim! Trouxe-lhe uma dezena e agradeceu-me sorrindo. A vida começou-lhe a pregar partidas e desabafou comigo... era a crise e tinha alguém no desemprego, "ouro e prata, não tenho, mas o que tenho te dou"... e dei-lhe um dos meus terços, o Dia Santificado e o Devocionário da Divina Misericórdia e disse-lhe: Vamos rezar!

Tudo ia melhor e agora adoeceu... queria ajudá-la, a serio que queria.... mas não lhe posso tirar a doença, mas posso oferecer-lhe o que tenho, e o que tenho é JESUS! Fizemos a Novena a N. Senhora das Lágrimas e continuámos sempre a rezar... senti-me inspirada a facultar-lhe o livro: JESUS, está vivo.

Hoje dizia-me: Estou a adorar... rezei tanto uma oração que lá está... mas não tenho aquela força, sabe... acho que isto não é para mim! 

A Graça de Deus, minha querida é para todos!!!!! Para os de longe e os de perto, JESUS, não é um salteador e por isso, não arromba o coração de ninguém, Ele bate e pergunta: Minha filha, eu te amo, posso entrar? Eu quero-te ao pé de mim, tu queres vir a Mim? Não posso garantir, que Ele a vai curar, mas posso garantir que a Graça de Deus, a Força de que fala... não é nossa, vem D'Ele, gratuitamente! 

A sua resposta surpreendeu-me: Eu quero ir, mas tenho que ver quando posso!

Creio que sou chamada a dar catequese, não na Igreja, mas cá fora... onde o Espírito Santo quiser!

Louvado Seja N. Senhor Jesus Cristo!

sábado, 6 de abril de 2013

Testemunho (meu, pois de quem haveria de ser?)




Sua Santidade, Papa Francisco.


Tinha dito que iria a Fátima pedir um Milagre! Marquei o dia e geri tudo para que assim se realizasse... mas na véspera caí num pranto, que nada, nem ninguém consolava... queria refugiar-me no colo de N. Senhora, mas naquele estado, não seria prudente. Obedeci, mas deixei claro a próxima data, nem que fosse "de rastos" e... na véspera, fui acometida por dolorosas dores, que me limitavam os movimentos. 

"Onde vais, nesse estado?"
Vou pedir um milagre a N. Senhora!
"Como irás?"
Com esta bengala (improvisada)...

Rezei, pedi, agradeci e intercedi! Nos dias seguintes piorei consideravelmente, tive necessidade da intervenção clínica, mas continuei o meu dia-á-dia... programei ir á igreja, rezar pela alma de quem partiu á muito, era o aniversário da sua morte e fazia todo o sentido... afinal, não é pelas décadas que lhe sinto a alma em paz, antes... receio (e aqui embarga-se-me o coração) que pelo que me fez sofrer, ainda não tenha alcançado a paz eterna e as lágrimas acabam por saltar... e só espero, que a Grande Misericórdia de N. Senhor Jesus Cristo, tenha isso em conta...

Pois como disse, eu queria... lá isso queria, mas não havia forma de conseguir erguer-me da cama... mas o que se passa comigo, que dores são estas? Não costumo desistir e por isso esforcei... e dei por mim, quase a desmaiar... nitidamente, estava a ultrapassar o meu limite.

Repouso absoluto, medicação S.O.S. e exames urgentes. Resignada á minha incapacidade, entreguei os sofrimentos desse dia, por esta alma que tão bem lhe quero. Assim espero, que tenha o seu valor, diante da Misericórdia Divina.

Dias seguintes... e nada de recuperação. Ofereci pelo Conclave... pela escolha do "novo Papa", e foi essa a única oração, que consegui fazer durante alguns dias. Finalmente saiu fumo branco e N. Senhor, deu-nos o Papa Francisco... fiquei surpreendida, desde a primeira hora... por tudo. As horas foram passando, e o Santo Padre era noticia, a toda a hora... e sinceramente, ainda acho que é.

Surpreendida, dava comigo a sorrir enquanto uns e outros comentavam o novo, Santo Padre... aos poucos, fui recuperando a mobilidade e continuo a sorrir (sem entender na sua maioria) com as atitudes de Sua Santidade, Papa Francisco!

Santa Páscoa!