sábado, 6 de abril de 2013

Testemunho (meu, pois de quem haveria de ser?)




Sua Santidade, Papa Francisco.


Tinha dito que iria a Fátima pedir um Milagre! Marquei o dia e geri tudo para que assim se realizasse... mas na véspera caí num pranto, que nada, nem ninguém consolava... queria refugiar-me no colo de N. Senhora, mas naquele estado, não seria prudente. Obedeci, mas deixei claro a próxima data, nem que fosse "de rastos" e... na véspera, fui acometida por dolorosas dores, que me limitavam os movimentos. 

"Onde vais, nesse estado?"
Vou pedir um milagre a N. Senhora!
"Como irás?"
Com esta bengala (improvisada)...

Rezei, pedi, agradeci e intercedi! Nos dias seguintes piorei consideravelmente, tive necessidade da intervenção clínica, mas continuei o meu dia-á-dia... programei ir á igreja, rezar pela alma de quem partiu á muito, era o aniversário da sua morte e fazia todo o sentido... afinal, não é pelas décadas que lhe sinto a alma em paz, antes... receio (e aqui embarga-se-me o coração) que pelo que me fez sofrer, ainda não tenha alcançado a paz eterna e as lágrimas acabam por saltar... e só espero, que a Grande Misericórdia de N. Senhor Jesus Cristo, tenha isso em conta...

Pois como disse, eu queria... lá isso queria, mas não havia forma de conseguir erguer-me da cama... mas o que se passa comigo, que dores são estas? Não costumo desistir e por isso esforcei... e dei por mim, quase a desmaiar... nitidamente, estava a ultrapassar o meu limite.

Repouso absoluto, medicação S.O.S. e exames urgentes. Resignada á minha incapacidade, entreguei os sofrimentos desse dia, por esta alma que tão bem lhe quero. Assim espero, que tenha o seu valor, diante da Misericórdia Divina.

Dias seguintes... e nada de recuperação. Ofereci pelo Conclave... pela escolha do "novo Papa", e foi essa a única oração, que consegui fazer durante alguns dias. Finalmente saiu fumo branco e N. Senhor, deu-nos o Papa Francisco... fiquei surpreendida, desde a primeira hora... por tudo. As horas foram passando, e o Santo Padre era noticia, a toda a hora... e sinceramente, ainda acho que é.

Surpreendida, dava comigo a sorrir enquanto uns e outros comentavam o novo, Santo Padre... aos poucos, fui recuperando a mobilidade e continuo a sorrir (sem entender na sua maioria) com as atitudes de Sua Santidade, Papa Francisco!

Santa Páscoa!

Sem comentários: